Growing Draft

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Growing Draft

Mensagem por Remo L. Pride em Sex Mar 27, 2015 9:56 pm


REBEL HEART
letter-spacing: 10px;


-Lhor… Me encontre na colina daqui uma hora. - O Ent pareceu concordar, e então saiu em passos largos pela floresta, para que chamasse menos atenção.
Aquele era o grande dia. Eu finalmente iria sair do acampamento.

Não iria mais prestar serviço nenhum aquele lugar… Matar Heitor era algo suficiente ruim, mas depois de ser aceito por Éris eu não tinha mais necessidade de estar ali, era superior.
Todas essas coisas me davam mais convicção de que eu era demais para ficar, e agora tinha um novo lugar no submundo, no castelo de Éris!

Durante minha estadia ali tinha aprendido muitas coisas. Poderes incríveis e inimagináveis. Tinha conseguido me destacar. Não era mentira dizer que eu era um dos mais habilidosos e fortes dali, principalmente se estivesse em um ambiente com a natureza ao redor, onde era quase impossível perder uma luta.

Não tinha feito nenhum inimigo durante o tempo que fiquei no acampamento. Era em parte “amigável” com todos e mantinham o respeito de todos, por bem, ou por mal.
Confrontos, sim, mas não podia reclamar de muita coisa. Não iria me transformar em um rebelde sem causa. Tinha planos, e somente iria entrar em batalha com alguém dali caso se atrevessem em impedir esses.

Subi a colina em passos graciosos. Minha capa negra tremulava com o vento enquanto o barulho de metal em fricção era baixo, pela armadura. Minhas luvas estavam na mão, e sobre elas meu anel, e por último, mas não menos importante, minha coroa de louros reluzia em minha cabeça. Tinha todos meus itens. Tudo que tinha ganhado durante o tempo que estava ali.
A frente da colina existia uma árvore a mais. O jeito em que Lhor se camuflava era engraçado. O Ent era bem esperto, e sua fieldade a mim era reciproca. Era mais que um mascote, mesmo que ó achasse estranho.
-Então… Vamos a Manhattan. Tenho certos assuntos a tratar antes de finalmente ir ao submundo.
Ele concordou e me pegou, me colocando sentado em sua cabeça. Antes disso, dei uma última olhada para o acampamento e estiquei a mão.

Flores vermelhas brotaram em frente a casa grande, formavam uma flor gigante com espinhos em volta, como a da capa. Aquele seria meu símbolo.
Lhor disparou colina abaixo, a partir de agora só podia contar comigo e minhas próprias habilidades.


A medida que a árvore viva avançava conseguia ver as luzes a frente. A distância não era muito grande, mas não chegaria lá tão cedo.
Lhor corria a passos largos, e enquanto corria conseguia superar a lerdeza de seu tamanho. Pelos meus cálculos, chegaríamos em menos de uma hora, isso, se não houvesse interrupções.

-----------------------x--------------------------


Tão rápido quanto imaginei, estava em Manhattan. Era incrível o fato de não ter acontecido nenhum ataque. Hora ou outra algum cão infernal rosnava pelos matos, mas não atacava. Tínhamos chegado ao centro da cidade. Estava no McDonald's enquanto Lhor descansava no Central Park. Sabia que não podia demorar por ali. Somente estaria em segurança quando chegasse ao submundo.
Tinha que fazer uma visita a meu pai... Manter ele informado sobre as coisas, porém iria ser o mais breve possível, por questões de segurança.

Meu pedido não demorou a ser atendido, e quando chegou a mesa, comecei a comer como se estivesse a dias sem comida.
A cada mordida dava uma golada na Coca-Cola, me deliciando com a comida industrial que a muito tempo não via.
Aquele momento de alegria não foi eterno, como sempre.
Enquanto engolia o lanche com vontade, o sino da porta tocou, sinalizando que alguém entrava, e quando olhei, não fiquei tão surpreso assim.
Dakota e Draw. Ambos filhos de Dionisio, e um deles, o monitor do chalé. Estavam armados, porém, suas espadas guardadas nas bainhas.

Eles se aproximaram, e se sentaram em minha frente, não pareciam querer lutar.
-Precisa voltar. Sabe disso.
A franqueza dele me fez sorrir. Estavam ali para me convencer a voltar para o acampamento.
-E porque eu voltaria?
-Sabe como as coisas são. Se não voltar logo os outros irão te achar. Todos já sabem sobre o que ocorreu com Heitor, organizaram uma equipe para te levar de volta. Você não é o único que consegue conversar com as plantas, Remo. Não piore isso...
-Querem que eu volte para ser dado como traidor e ser renegado. Qual o sentido disso?
-Todos tem uma chance de se redimir. Alguns entendem que fez aquilo por sobrevivência.
-Por favor, Draw… Não venha com histórias. As regras do acampamento não irão mudar para mim. Seria até injusto se mudassem. Heitor esta morto, e é isso. Lá não é meu lugar.

De certa forma eles realmente não pareciam querer causar briga. Uma equipe estava caçando minha cabeça, e dessa equipe, dois apaziguadores tinham me encontrado.
Talvez sorte… Talvez oportunidade de mostrar como as coisas iriam ser daqui pra frente.

Foi de certo jeito estranho a desistência deles em continuar aquilo. Talvez as palavras de um abençoado de Éris realmente pesavam demais.
Os dois se levantaram novamente juntos e foram rumo a porta principal. O local estava cheio de clientes, mas se eu deixasse que voltassem, uma nova equipe chegaria antes que piscasse. E esses podiam não ser tão amigáveis, e nem entendedores das causas que me levaram a matar o monitor de Athena.

-Desculpem…
A névoa rodeou ao redor da porta, e a medida que um tronco foi tomando forma, em segundos dois Remos estavam na lanchonete.
Perfurando o concreto, uma grande rama brotou. A mesma ia crescendo pela porta e tapando a saída junto a sacada de vidro, que logo estava coberta por plantas e raízes utilizadas pelo o clone.
Em seguida, mudei minha forma. Era agora um semideus qualquer. Não queria meu nome em jornais de NY. Por último, puxei o anel, que virou minha foice.

Avancei contra Dakota com a foice em punho, e antes que ele sequer sacasse sua arma, provoquei dor no rapaz, ó fazendo levar a mão a cabeça, e assim, a foice se afundou em seu ombro, deixando um talho largo no local. Draw avançou com sua espada que bateu em minha armadura. O impacto foi suficiente para me fazer recuar, mas os filhos de Dionisio estavam surpresos demais com o ataque para levassem a melhor.
Esquecendo totalmente do clone que estava atrás do mesmo, Draw avançou contra mim. Era um dos mais habilidosos espadachins do acampamento, e com isso foi fácil quando tentei desviar de um corte na barriga, a espada passou direto em uma brecha, cortando superficialmente minha cintura. Consegui sentir o veneno ser deixado no local, porém, não sentia nada em meu corpo.

O clone então avançou contra Dakota que estava caído a beira da morte. A foice cortou direto seu pescoço, decaptando o monitor de Dionísio sem grandes dificuldade.
Em seguida, o mesmo se aproximou e segurou Draw pelos braços, impedindo o rapaz de continuar lutando enquanto preparei a foice, fazendo um pequeno corte em seu pescoço.
-Avise ao acampamento que não quero ninguém me procurando. Se mais alguém vier atrás de mim, as coisas não serão tão legais assim.

As ramas que trancavam e tapavam a porta se abaixaram, e o clone então carregou o rapaz que gritava pelo corpo do irmão até fora da lanchonete. Ele não conseguia agir agressivamente, não tinha concentração para atacar, além de estar imobilizado, e apesar de ter resolvido um problema, eu ainda tinha que cuidar das testemunhas.

Do mesmo local onde as ramas brotaram, inúmeras raízes saíram. Eram afiadas demais e suas pontas serpenteavam pela lanchonete até que iam em direção dos mortais. Algumas os perfuravam no coração, outros direto na cabeça.
Não apresentavam resistência alguma aquilo a não ser gritar e tentar correr e isso fazia com que  morressem em segundos depois de serem perfurados.
Não demorou para que eu fosse o único vivo ali dentro. Não pretendia ficar muito tempo.

Antes de caminhar para fora do local, somente o barulho da televisão anunciava a fuga de um rinoceronte branco no zoológico de Manhattan. Logo anunciariam a chacina feita naquele local.

Logo que sai da lanchonete, fui até o Central Park. Quando cheguei no meio do local que estava vazio, não encontrei Lhor. Tinha que sair dali logo, mas deixar o Ent ali era inviável.

Antes que pensasse em algo ou começasse a procurar o Ent, a terra começou a tremer, e mais a frente um rinoceronte já adulto e grande vinha em minha direção, mas não parecia atacar. O animal que parecia mais uma besta se escondeu, ficando atrás de meu corpo enquanto dois guardas apareceram. Um usava uma besta, provavelmente com soníferos, e o outro estava de mãos vazias.
-Não é inteligente mexer com meu novo amigo.
Minha mão acariciou a cabeça do rinoceronte que grunhiu enquanto rapidamente dois galhos se alongaram das árvores, puxando os dois guardas do zoológico e os enforcando.
Teria que deixar a visita a meu pai para depois. Aquele lugar era agora perigoso e não sabia até quando minha mutação iria durar. Me sentia um pouco cansado. Então, ativei meu amuleto para que tivesse um pouco de energia devolvida.

Subi nas costas do rinoceronte sem dificuldades. A empatia com animais era algo nato em mim. As ruas não eram tão movimentadas assim, e eu tinha que sair logo do centro movimentado para que fosse logo para o Castelo de Éris.

Armas Usadas:


• Couraça do Caos [Ferro Estíge // Peitoral de armadura dado por Éris aos seus seguidores. Possui o dobro da resistência de armaduras comuns, dificilmente se quebrando. Não apenas isso, possui a habilidade de evolução reativa, linkada diretamente com o poder passivo dos Anarquistas // Presente de iniciação nos Anarquistas da Discórdia].

• Foice do Néctar [Bronze Celestial // Uma foice forjada em bronze celestial com um metro e oitenta de altura, e mais sessenta centímetros de lâmina. Quando não está em uso possui a habilidade de se transformar em um anel. Uma vez por missão é possível soltar um estranho pólen no ar que paralisa o inimigo // Presente de reclamação de Deméter].

• Coroa da Terra [Bronze Celestial // Disfarçada em uma coroa de louros, é uma coroa de bronze celestial que dá ao semideus um melhor controle da fauna e da flora. O controle aumenta com o nível do filho de Demeter, além de dobrar efeitos de poderes relacionado a natureza. // Presente de reclamação de Deméter].

• Amuleto Mágico [Colar // Prata e Esmeralda // Um amuleto encantado por filhos de Hécate e feiticeiros de Circe e vendidos para loja de itens do acampamento, curam 200 PM e 150 PR uma vez por evento/missão/treino // Loja do Acampamento].

• Rosa Negra [Couro // Uma capa negra com o desenho de uma rosa tingido de prata em seu centro. Cobre as costas do usuário apenas, podendo ser puxada para frente se necessário. A capa possui a capacidade de bloquear completamente um ataque de seu oponente apenas uma vez por missão // Missão Hunter].

Luva do Sono [Couro // Par de luva de couro que, uma vez por missão, ao entrar em contato com a pele de alguém fará com que o mesmo fique um turno adormecido // Missão Narrada - Nêmesis].

• Ent [Filhote // Nível 01 // 100 PV // 100 PR // 0 L // São árvores humanoides, quase semelhante a um troll, com 3,5m de altura quando filhote. Muito robusta, encoberta por casca de árvore verde e cinzenta, os braços numa pequena distância do tronco, cobertos por pele lisa e castanha. Cada um dos pés tem sete dedos, olhos castanhos e carregados por uma luz esverdeada.  // Uso da força e elasticidade // Quando o ent pisar forte sobre o chão, causa um forte terremoto, pode até mesmo abrir buracos e rachaduras no solo]

Poderes:

Passivos:

[Nível 01] Agilidade – O filho de Deméter, quando em meio à natureza, será mais ágil, devido a necessidade de adequar-se a um meio com muitos obstáculos naturais.


[Nível 03] Perícia com Foices – O filho de Deméter possui exímia habilidade com foices, estas serão tão leves que o semideus fará movimentos com perfeição.


[Nível 05] Bússola Natural – O filho de Deméter, quando em meio à natureza, nunca estará perdido, sempre saberá sua localidade geograficamente.

[Nível 07] Fitocinese – O filho de Deméter tem a capacidade de controlar qualquer espécie de vida vegetal, ou seja, todas as plantas, além da capacidade de fazer nascer em qualquer local.


[Nível 10] Influencia nas palavras — Como qualquer bom causador da discórdia, os Anarquistas possuem uma capacidade única de convencer, causar confusão ou suspeitas apenas com suas poucas palavras que sempre parecem tão verdadeiras.

[Nível 15] Imunidade — Anarquistas são completamente imunes a qualquer tipo de veneno, sendo eles de baixa ou alta periculosidade.

[Nível 30] Aura do Caos — Depois de um tempo como membro dos Anarquistas os mesmos desenvolvem uma aura poderosa que causa medo e aflição, como se tudo tivesse prestes a se tornar um caos do nada. Esta Aura intensifica-se caso o semideus sinta raiva, ódio ou qualquer sentimento forte negativo. Monstros acabam confundido a aura dos Anarquistas com a de monstros, por este motivo sempre há uma hesitação mínima por parte deles antes de atacar o semideus (caso o monstro seja 5 ou mais leveis acima do Anarquista não haverá hesitação)


Ativos:



[Nível 18] Clone de Madeira – O filho de Deméter poderá criar um clone idêntico a si mesmo, feito através da manipulação de madeira, e tornará a aparência humana real por três turnos, após isso, virará um boneco de madeira inanimado. Utilizará uma foice como arma e poderá utilizar os poderes passivos do semideus.
Gasto: 60 PM.
Duração: Três turnos.
Evolução: Poderá usar também os ativos do semideus, desde que relacionados à madeira ou plantas, e durará cinco turnos. [EVOLUÇÃO]

[Nível 21] Controle de Raízes – O filho de Deméter faz com que inúmeras raízes perfurem a terra em direção ao inimigo, suas pontas são extremamente perigosas, em forma de agulha e estas o atacam e o prendem através do controle do semideus.
Gasto: 45 PM por turno.



[Nível 10] Transmorfo — Um dos dons principais causadores da discórdia é este, a transfiguração. Os Anarquistas da Discórdia conseguem assumir a aparência (incluindo a voz) de qualquer humano, semideus ou animal ou monstro.
Gasto: 30 MP.
Duração: 3 turnos.

[Nível 20] Dor — É capaz de infligir dor através do pensamento em humanos, semideuses e monstros. A dor é aguda e incomoda bastante, podendo causar desmaios em pessoas 5 leveis inferiores ao seu. Não funciona com pessoas cinco leveis mais alto que o Anarquista.
Gasto: 10 MP.
Duração: 2 turnos.


Item Pedido:

Rinoceronte Brando - Conhecido por ser a maior raça de Rinocerontes, possui 2m de altura e 1,5 de largura. Tem um grande chifre perto do focinho, além de ser um dos mamíferos mais fortes. 100PV/100PM/100PR

Obs: Peço a consideração do Amuleto que carrega 200PM/150PR na hora dos descontos. Obg sz






BANG BANG, BITCHS!

Anarquistas da Discórdia
Anarquistas da Discórdia
avatar
Remo L. Pride

Ficha do personagem
PV:
980/980  (980/980)
PM:
980/980  (980/980)
PR:
980/980  (980/980)

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Growing Draft

Mensagem por (EXST)Apolo em Dom Mar 29, 2015 3:01 am

Avaliação

Bom... Sendo bem direto, a missão não foi lá grandes coisas. Pareceu muito fácil, apesar de você ser nível alto eram dois campistas contra um, sendo um deles monitor. Mesmo você tendo criado o clone, as coisas não seriam tão fáceis para você. E bem, tudo pareceu bem fácil. Não teve um bom desenvolvimento da luta e a missão ficou pequena, parecendo um treino um pouco mais detalhado. Erros de gramática e etc tiveram poucos, dá pra desconsiderar. Enredo foi ok, não teve nada surpreendente. E bom, de último, não achei o item (mascote) condizente com o nível da missão. Então, sem recompensa de item.

Coerência Textual: 30/35
Coerência Batalha: 20/35
Gramática: 15/20
Enredo: 30/40
Objetividade: 15/20
Total: 110 exp e 60 dracmas.
Fama: -10

Sem descontos de PR/PM devido ao item que tu usou.
Sinta-se livre para pedir reavaliação, caso achar necessário.
Deuses
Deuses
avatar
(EXST)Apolo

Ficha do personagem
PV:
9999/9999  (9999/9999)
PM:
9999/9999  (9999/9999)
PR:
9999/9999  (9999/9999)

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum