[Trama] Sementes Mágicas!

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

[Trama] Sementes Mágicas!

Mensagem por Zeus em Ter Abr 14, 2015 6:55 pm

1. narração


O acampamento vem enfrentando diversas crises por de trás de seus muros/proteções. E a falta de colheita é uma delas, os campos de morango e derivados estão morrendo a cada dia e Quíron já não sabe o que fazer com a chegada desenfreada de mais semideuses, será que um dia terás que fechar as portas? Deixar todos os filhos dos deuses para fora? Um dia isso poderá acontecer se nada for feito. E os olimpianos? Sumidos, não há respostas para nada. Tudo está começando a se tornar um caos.

O centauro chamou três semideuses e explicou toda essa situação e até o que pretendia fazer se essa única chance sumisse de suas mãos. – Vão até Indiana, o mais rápido possível. Lá tem algumas sementes dentro de um antigo templo da deusa da agricultura. Esse saquinho contém nossa salvação. Não lhes digo que será fácil, então, por favor não demorem. O acampamento depende realmente do sucesso de vocês.

A filha de Zeus, o filho de Ares e o outro de Dionísio entreolharam-se e depois de ficarem preparados partiram sem enxergar algum problema. Não havia o que ser dito ou feito. A missão já começava.

2. diretrizes


- A primeira regra e a mais importante: SIGA AS REGRAS;

- Tome cuidado com incoerência e siga os pontos obrigatórios, podendo soltar a imaginação a partir deles;

- Isso é uma missão narrada. Eu narro. Já lhes digo que tudo em batalha que não ter os verbos "tentar" e sinônimos serão considerados narração;

- 48 horas pra postarem, todos os três, na ordem que bem entenderem. (Até o dia 16/04 às 19:00 sem extensão do prazo.);

- Todos os itens que forem levados e todos os poderes passivos que tiverem efeito sobre a narração deverão ser lembrados em spoiler no final de cada post;

- Vocês devem narrar a convocação  que foi pela tarde, não esqueçam de narrar como foi suas manhãs e, o que citei acima, e após isso, devem encontrar um meio de sair do Acampamento. Lembrem-se que o próprio Acampamento se encontra em Long Island, apesar de ser mais afastado. Não haverá "carona" do Acampamento, ou Pégasos emprestados, devem arrumar seu próprio jeito de ir juntos para Indiana, se virem;

- É uma missão trama, qualquer deslize ou pseudo narração em batalha serão mortos sem piedade;

- Dúvidas MP.

T
R
A
M
A

T
T


"Memory is a curse more often than a blessing"
Deuses
Deuses
avatar
Zeus
Idade : 20

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Trama] Sementes Mágicas!

Mensagem por Lucas Steban Heith em Qui Abr 16, 2015 11:08 am


SEMENTES MÁGICAS

PERÍODO DA MANHÃ [INTRODUÇÃO]

Eu realmente não estava muito animado aquela manhã. Queria ter o que fazer, e não estou me referindo a treinamento e combates em geral, e sim a festas e diversão. Quíron mantinha pulso firme sobre nós, campistas do chalé XII, a fim de evitar que desviássemos todos os semideuses do bom caminho. Muita sacanagem. Tomei o café na companhia dos demais, seguindo logo em seguida para a arena, mas não na intenção de praticar. Simplesmente sentei-me à arquibancada e fiquei observando o desenrolar dos combates, ainda que fosse muito cedo e a maior parte dos semideuses estivesse envolvida em outra atividade. Gostava de ficar ali e observar, era possível ter ideias para novos movimentos que talvez salvassem minha vida um dia; aliás, também podia avaliar as garotas que apareciam.  

Não sei quanto tempo fiquei ali, mas foi o bastante para deixar meus braços doloridos de tanto me apoiar neles. Quando finalmente resolvi fazer algo de útil, o sol já estava alto no céu. Foi então que topei com Annie, que finalmente chegava a arena – Olá, jovem gafanhoto. – Fiz um aceno enquanto me dirigia a ela com um sorriso brincalhão – Cuidado com os novatos, não quebre o braço de ninguém, seja legal com seus colegas. – Disse e dei uma tapinha em seu ombro antes de prosseguir com meu caminho para fora da arena.

O resto da manhã passou rápido. Resolvi praticar na parede de escalada, onde consegui mais escapar do que subir. Depois tomei um banho e fui almoçar, novamente topando com Annie, esta que tinha um olho roxo e tentou escondê-lo de mim assim que me viu. Mas é claro que eu não deixei passar! Primeiro ela quis me socar, mas depois se conformou com a situação e tivemos oportunidade de conversar sobre coisas aleatórias. Era um dia comum, assim como a maioria deles.

CONVOCAÇÃO [PERÍODO DA TARDE]

Nunca é um bom sinal quando um sátiro te procura. Não existe talvez ou certa ocasião, nunca é simplesmente em momento algum da sua vida. Eu estava deitado no Chalé XII quando a porta bateu. Como os dormitórios eram mais afastados, resolvi não ir averiguar quem seria o visitante, invés disso continuei a jogar para cima a mini garrafa de vinho que havia ganhado de Dionísio; um velho hábito. A surpresa foi tão grande ao ver o sátiro parado ali e chamando por meu nome que quase a deixei cair, mas invés disso dei um pulo da cama – Quíron quer me ver? Juro que não fui eu! Sério mesmo, cara. – Tentei convencê-lo, contudo não havia maneira de escapar. Soltei um suspiro pesado e fiquei de pé, jogando meus pertences nos bolsos – a mini garrafa de vinho, por exemplo. Dessa vez queria chegar no estilo turn down for what, então coloquei meu óculos ray-ban.

Fiquei surpreso ao chegar a presença de Quíron e perceber que não era o único ali. Havia um rapaz desconhecido a minha pessoa, e também Chelsea. A filha de Zeus era-me conhecida, embora não fossemos melhores amigos ou coisa do gênero. Ergui a mão em sinal de cumprimento e juntei-me ao grupo, dando a deixa para que Quíron começasse a falar o que tinha a nos dizer. A crise no Acampamento Meio-sangue já era de comum conhecimento, esta que vinha afetando, além de outros fatores, as próprias colheitas. Muitos eram os filhos de Deméter empenhados – e frustrados, diga-se de passagem – em resolver a situação. Como não havia como gerar lucros com as colheitas, ficava difícil administrar as despesas do Acampamento Meio-sangue, por isso a preocupação de Quíron, que não podia prever o futuro e temia em chegar o dia em que iria precisar recusar semideuses.

Então chegou a nossa parte na história – Ir até Indiana? Isso não é, tipo, longe para burro? – Usei a expressão para não abusar do palavreado. Chelsea é que escutou e virou o rosto na minha direção, rolando os olhos e fazendo aquela cara de também não fazer a mínima ideia. Ótimo, adoro missões suicidas. Tínhamos de visitar um templo em Indiana onde a deusa da agricultura era cultuada, lá provavelmente iríamos encontrar sementes mágicas capazes de resolver o problema das colheitas. Bom, a missão já estava dada e nos restava somente partir dali o mais rápido o possível. Quase pedi para ser mantido de fora, mas não queria parecer chorão, então fiz um aceno com a cabeça – Sim senhor, capitão. – Falei. Quando íamos saindo, parei Chelsea e o outro rapaz – Nos encontramos na colina, certo? Vejo vocês lá. – Me despedi. Ainda tinha coisas a fazer como, por exemplo, uma última refeição.

A SAÍDA E ADENDOS [PERÍODO DA TARDE]

Coloquei jeans e uma camiseta de cor violeta, afinal não ia sair no mundo espalhando a logo do Acampamento Meio-sangue. Além disso, revirei meus pertences até encontrar uma bracelete que me seria muito útil, o qual prendi no braço. Também havia um colar, mas esse eu nunca tirava do pescoço em situação alguma. Como usava o ray-ban desde a pequena reunião, mantive-o no rosto e joguei uma jaqueta por sobre os ombros. Tinha uma mochila com camisetas, dracmas e outros itens básicos. Mini garrafa de vinho em meus bolsos? Confere! Estava pronto para sair.

Como combinado, segui direto para a colina meio-sangue, sem parar para conversar ou algo do gênero. A bem da verdade, sentia-me um pouco nervoso. Fazia já algum tempo que eu não saía em missão, e aquela seria a primeira realizada no exterior. Engoli em seco. Fui o primeiro a alcançar a colina – Ótimo, atrasados. – Retruquei comigo mesmo enquanto fitava a visão dali de cima. Mas não demorou muito e Chelsea apareceu, seguida alguns segundos depois pelo outro rapaz que nos acompanharia – Então... Sou Lucas, filho de Dionísio. E você é...? – Esperei que meu companheiro respondesse, afinal já conhecia Chelsea e ela foi rápida em colar do meu lado – Prazer. Bom, como vamos sair daqui? Alguém tem ideias? Porque as minhas estão zeradas. – Cocei a nuca e abri um sorriso sem graça. Porque eu não fazia ideia mesmo de como arrumar um transporte por ali – Acha que consegue seduzir alguém que tenha uma carruagem ou algo assim, Chels? - Dei uma piscadela.

PODERES PASSIVOS:
[Nível 09] Reflexos Gatunos – Por sua ligação forte com os felinos, os filhos de Dionísio possuem os reflexos aprimorados e acima do normal, mesmo quando estão sob o efeito de drogas. Agem e reagem com a rapidez de um gato.

[Nível 12] Sensitivo – Apenas de olhar para outras pessoas, os filhos de Dionísio são capazes de compreender e explicar o que elas sentem, como uma fortíssima empatia sentimental.

[Nível 15] Sentidos Aguçados – Como bom filho de Dionísio e patrono dos felinos, o semideus passa a ter três de seus sentidos (visão, olfato e audição) extremamente aguçados, sendo capaz de ouvir, sentir e ver três vezes além do normal.

[Nível 17] Aura da Alegria – O semideus emana uma aura natural de alegria e felicidade, deixando todos a sua volta com uma sensação de que nada de mal pode lhes acontecer, trazendo satisfação aos que o cercam.

ARMAMENTO:
• Florete Vinícola [Bronze Celestial // Um florete simples em bronze celestial que é capaz de se disfarçar em forma de uma mini garrafa de vinho, pequena o suficiente para ser levada no bolso. Sempre que atinge o alvo diretamente na pele, transmite pequenas substâncias alcóolicas que deixam o inimigo gradativamente bêbado, diminuindo reflexos, coordenação motora e retardando suas reações e movimentos // Presente de reclamação de Dionísio].

• Máscara Teatral [Bronze Celestial // Uma máscara de bronze celestial em forma da máscara teatral grega que representa o drama, ou a tristeza, que se torna um óculos ray-ban quando não está em uso. Possui a habilidade de causar alucinações em quem a olha, fazendo com que o inimigo veja vultos e imagens falsas que são geradas pela mente em princípio de loucura. Poderes de influência mental ou sentimental usados após o efeito da máscara serão potencializados // Presente de reclamação de Dionísio].

• Revenge [Colar // Prata // Colar com o pingente de uma balança, simbolizando o equilíbrio, feito inteiramente em prata. Quando ativado, tem o efeito de devolver todo o dano recebido no turno anterior a um inimigo. Uma vez por missão // Evento de Páscoa].

• Bracelete Vital [Bracelete // Prata // Um bracelete encantado por filhos de Hécate e feiticeiros de Circe e vendidos para loja de itens do acampamento, curam 200 de PV e 150 de PR uma vez por evento/missão/treino // Loja do Acampamento]
 


Última edição por Lucas Steban Heith em Qui Abr 16, 2015 6:14 pm, editado 1 vez(es)


wine , parties, orgies , pac-man;
Progênie de Dionísio
Progênie de Dionísio
avatar
Lucas Steban Heith
Título : Novato
Fama : +3

Idade : 18

Ficha do personagem
PV:
540/540  (540/540)
PM:
540/540  (540/540)
PR:
540/540  (540/540)

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Trama] Sementes Mágicas!

Mensagem por Chelsea S. Meulenbrock em Qui Abr 16, 2015 11:41 am


Era uma vez ... ♕

uma garota de nome Chelsea Meulenbrock


Diferente das minhas manhãs costumeiras eu não estava treinando, algumas pessoas podem me chamar de vagaba por isso, mas depois de dias a relento de treino, treino e mais treino, eu dei a mim mesma um dia de folga. Sr. D. e Quíron estavam me achando com cara de que? Eu não sou empregada ou escrava ou qualquer merda dessa dos deuses, por isso mesmo passei boa parte da minha manhã naquele lugarzinho ali, onde? Na praia. Entrar na água? Jamé, estava frio, e eu gostava mais só de Apolo esquentando meu rostinho lindo, eu deveria estar de biquini, mas não, não ia deixar que esses pobres semideuses se apaixonassem pelo meu corpinho.

Minha barriga roncou em um certo momento, claro, eu não posso apenas ficar expondo a minha beleza na praia, tenho que encher meu corpo lindo de comida. Já era quase uma da tarde, eu não tinha me queimado muito, era uma particularidade da minha pessoa, fui pro chalé, tomei um bom banho pra esfriar o corpo quente do contato com os raios solares e fui pro refeitório que estava lotado de gente, o meu irmão e minhas meio irmãs estavam por lá, nossa mesa, por histórico, deveria ser uma das mais vazias, mas diferente disso, ela era uma das mais cheias. – Qualé Chandler, passa logo essa carne, cara! – Bradei com meu irmão e ele fez cara feia, eu estava faminta, não tinha ido no café da manhã, uma pena, disseram que tinha torta de morango com mirtilo.

Eu tinha adormecido no meu chalé no pós refeição, acordei com Chandler, sutil como só ele e um autômato conseguem ser, eu ainda estava um pouco confusa quando ele disse sobre o Sr. D. me chamar, o dia tava bom demais pra ser verdade. Respirei fundo e, praticamente, me arrastei pra casa grande, quando cheguei lá, não a primeira, vi outros dois semideuses, primeiro foi Lucas, filho do próprio Sr. D., o outro era um dos conselheiros, eu o conhecia de uma ou outra reunião na sala em que estávamos agora. – Eu juro que eu sou inocente, só queria tirar um dia de folga. – Ergui as mãos e Quíron apontou o local de onde deveria sentar e escutar. Uma missão, interessante, e pelo jeito era daquelas que mata, ô delícia, tô na merda de novo, e eu que achava que meu dia estava bom.

Combinamos de nos encontrar na colina, eu tinha arrumado algumas coisas na minha bolsa, dracmas, já que era importante, uma camisa nova, armas, essas coisas, olhei o machado perto da cama e segurei seu cabo, depois do mal estar na missão com Zara, que ainda não tinha retornado ou dado notícias, eu queria usá-lo mais do que nunca. Os dois estavam a minha espera, como sempre eu estava atrasadíssima. – Então, como vamos sair do acampamento? – Perguntei e um deles respondeu sobre um filho de Hefesto ter um carro, eu olhei pros dois e respirei fundo, sabia que isso ia dar em merda, mas tudo bem, eu confiava nos meus parceiros de missão, não deveria.

Olhei o veículo meio desconfiada, ele ficava além do pinheiro, escondido entre as árvores e camuflado com algumas folhas, quando aquilo foi tirado eu deixei uma risada escapar, o carro era um lixo, quase que naturalmente, o filho de Hefesto tentou ligá-lo, mas sem muito sucesso. – Posso? – Ele se afastou eu esfreguei uma mão na outra e toquei forte no veículo, até mesmo o rádio começou a tocar com a descarga elétrica que saiu dos meus dedos. – Alguém sabe dirigir? –Olhei pros dois rapazes, eu não tinha tirado carteira de habilitação ainda.

Poderes & Armas:
Ativos:
[Nível 08] Eletrificar – O filho de Zeus encantará todos os objetos e armas em que tocar com eletricidade, que terão a habilidade de dar choques, quando em contato com o inimigo durante dois turnos.
Duração: 2 turnos.
Gasto: 20 PM.
Evolução: A duração aumenta para 3 turnos, e as armas ganham a capacidade de lançar pequenas rajadas elétricas.


[Nível 10] Descarga – O filho de Zeus eletrificará a própria mão e com isso, lançará um pequeno choque no inimigo, causando dano e dormência muscular.
Gasto: 20 PM.
Evolução: O semideus agora lança ondas elétricas que além de dano, irão causar paralisia, endurecendo músculos através da estática.
Passivos:
Ainda não usados
Armas:
• Espada Elétrica [Bronze Celestial // Uma espada de bronze celestial com a empunhadura envolta em couro. Sua lâmina encantada, ao contrário do metal que lhe dá origem é de coloração azulada e sempre que toca o inimigo libera correntes elétricas que aumentam o dano de seus golpes. Quando não está sendo usada, transforma-se em um anel de prata com o símbolo de um raio // Presente de reclamação de Zeus].

• Luvas Taurinas [Bronze Celestial // Um par de luvas de bronze celestial que protegem as mãos e o antebraço. Quando não estão em uso, disfarçam-se em duas pulseiras iguais, uma em cada pulso. Ao serem ativadas, dobram a força física do semideus // Presente de reclamação de Zeus].

•Machado [Madeira e Aço // Machado com cabo de madeira e cabeça única de aço. Possui cerca de setenta centímetros de comprimento // Comprado na Loja do Acampamento]

• Dachtylídi Vasiliá [Ouro // Um anel de ouro incrustado com uma pedra de rubi avermelhada. Possuí escrituras em sua volta, tanto interno e externo. Brilham quando a habilidade está em uso. O efeito do anel é criar uma área circular em volta do portador, 5 metros de raio, e tudo que estive dentro vai sofrer efeitos curativos. 25 PV, PM e PR pelo tanto de tempo que estiver dentro do círculo. Duração: 4 turnos // Missão One-Post // Atualizado por Zeus].

• Revenge [Colar // Prata // Colar com o pingente de uma balança, simbolizando o equilíbrio, feito inteiramente em prata. Quando ativado, tem o efeito de devolver todo o dano recebido no turno anterior a um inimigo. Uma vez por missão // Evento de Páscoa].


CHELSEA SHAW MEULENBROCK
Progênie de Zeus
Progênie de Zeus
avatar
Chelsea S. Meulenbrock

Ficha do personagem
PV:
620/620  (620/620)
PM:
620/620  (620/620)
PR:
620/620  (620/620)

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Trama] Sementes Mágicas!

Mensagem por Augustus Owen McKnight em Qui Abr 16, 2015 4:35 pm

Minha respiração estava desacelerada. Calma na verdade. Senti um corpo entre os braços, sem abrir os olhos reconheci sendo de Francesca. Quem mais poderia ser? Dormi tranquilo durante aquela noite, talvez não tão tranquilo assim, depende do ponto de vista. Ao lado de Fran quase nada é tranquilo. Aos poucos ia despertando por completo, ainda desejando ficar na cama e continuar sentindo aquele perfume de algodão doce, que de alguma forma, France tinha. Olhei para ela quando finalmente abri meus olhos. A garota estava de costas para mim, pois estávamos de conchinha, então não vi muito mais do que seus cabelos loiros. Respirei fundo, beijei a bochecha dela e comecei a pensar com mais clareza. "Onde estou?", me perguntei, enquanto tentava despertar completamente. Observei o local com atenção, não demorou muito e comecei a corar. Estava no chalé de Afrodite. "Droga!", pensei. Com delicadeza e sem fazer barulho, fui tirando o braço debaixo do corpo de Fran. Tentando ao mesmo tempo não acordar a garota, nem dar pinta para todo o chalé que estava somente de cueca.

Não foi fácil, mas eu consegui. Sai do chalé sem acordar ninguém, o que não foi nada tão impossível como eu imaginei. Havia me esquecido como os filhos de Afrodite costumam acordar um pouco mais tarde e os que não dormiam não estavam no local. O único problema foi ter que sair do local sem me despedir de Fran, claro que ela ficaria brava, mas iria entender. Por sorte encontrei todas as minhas peças de roupa, geralmente Francesca costuma esconder tudo, me dando ou a opção de ficar ou a opção de sair só de cueca pelo acampamento. Me irritava? Nem um pouco, mas certamente me deixava com vergonha na frente dos irmãos dela o que eu estava fazendo tão cedo no chalé. Sempre arrumei uma desculpa para isso, mas não quer dizer que eles acreditavam, no fundo os filhos de Afrodite meio que tinham uma habilidade de farejar sexo.

Estava com o estomago vazio e ainda era cedo, dava tempo de tomar um café. Assim o fiz, me dirigindo ao pavilhão e então me sentando com Annie, que estava toda marcada de manchas no corpo. Ela diz pra todo mundo que andou se metendo em brigas com mais de doze campistas ou coisa assim, mas no fundo eu sabia a verdade, muitas vezes usei a mesma mentira para responder sobre os chupões que Fran me deixava pelo corpo. Ela não disse uma só palavra. Parecia com tanta fome quanto eu. Me fartei da bebida negra e de alguns abundantes pedaços de torta. Quando menos esperava avistei Liam, entrando no local para, assim como eu, se alimentar. Mandei um sorriso para o loiro e o mesmo sorriu pra mim, coisa que certamente ninguém conseguiria arrancar do garoto, exceto eu mesmo. Cogitei a ideia de ir comer com ele, mas considerei que não seria muito legal para os outros filhos de Hades. Continuei comendo até estar com a barriga cheia.

O resto da manhã e o começo da tarde foi bem tranquila, fiquei treinando até a hora do almoço. Depois de me alimentar outra vez, por volta das duas da tarde, voltei ao meu treino. Fiquei lá até que uma garota, ruiva de olhos verdes, veio até mim. - Olá, sou Alexia. - Disse a garota indo em minha direção, apertando minha mão e sorrindo. - Sou Augustus, é um prazer. - Comentei e logo a menina disse o que queria. Eu estava sendo convocado na casa grande. A urgência da convocação era grande, sem muitos detalhes prossegui até o local com a certeza de que era uma missão. Não qualquer tipo de missão, não. Uma missão bem delicada que poderia ser de vital importância pelo acampamento. Isso foi tudo o que a garota havia me contado, o resto da história passeava pela minha cabeça com pensamentos criativos de uma imaginação fértil. Não queria admitir, mas estava animado com a ideia. Precisava de adrenalina, a vida com Fran estava muito calma, estava me acostumando com aquilo, o que não era bom, eu sempre estive preparado pra tudo, não podia deixar o amor me amolecer.

Ao chegar na casa grande acatei as ordens de sentar e escutar. Ao meu lado se encontravam dois semideuses. O centauro e o deus, para quem já havia assassinado um semideus terror, estavam a explicar os detalhes. Quíron falava bem mais. Claro. Tinha que explicar tudo de forma clara. O nosso objetivo certamente seria um pouco suicida. Ir até um templo de Deméter e pegar a salvação do acampamento, ao menos foi o que o diretor de atividades disse. Não estava surpreso, imaginei que mais cedo ou mais tarde missões em busca de ajuda iriam aparecer. Toda a minha "casa" estava comprometida. Não querendo saber sobre os detalhes disse logo de cara. - Muito bem, aceito a missão. - E os garotos logo indicaram que também compartilhavam da ideia. Uma filha de Zeus, que mal reconheci do conselho, um garoto que não sabia dizer quem era e eu, o filho de Ares. A missão estava balanceada, parte de mim queria estar com Hunter, com facilidade saberíamos o que fazer em um esquema bem elaborado. De qualquer forma os dois ali tinham minha total confiança, iriamos arriscar a vida, então com certeza precisava confiar neles.

Como combinado previamente eu iria atrás das minhas coisas e os encontraria na colina. Não queria me atrasar, mas não teve como, na porta de meu chalé estavam duas pessoas. Ed, um amigo conselheiro de Hefesto e Fran, minha namorada. Ambos estavam me esperando, já sabendo da minha missão. Nos últimos dias, com o caos instaurado por todo lado, tudo a respeito de informações importantes se espalhava com grande facilidade. - Fran, eu falo com você lá dentro, pode ser? - Perguntei ao me aproximar, ela afirmou que sim, entendeu que o motivo do filho de Hefesto poderia ser mais urgente que o dela, mesmo eu já sabendo o motivo de sua visita. - Hey Gus. - Disse o garoto, apertando minha mão e esperando Fran entrar no chalé. - Bem, eu já sei que você não tem muito tempo, coisa da missão e tals. Então, é o seguinte, eu tenho um transporte pra você. Eu sei que precisa. - Disse ele e a cada palavra eu ficava mais atento. - Bem Ed, é uma honra, ficarei muito feliz em receber sua ajuda. - Olhei para o garoto e ele tirou uma chave do bolso, pertencia a um carro da Ford. - Parece que vou dirigir antes do fim do verão, não esperava isso tão cedo. - Disse dando um abraço no garoto e pegando suas chaves. - Obrigado irmão. - Agradeci com um sorriso. - Obrigado mesmo, te devo uma. - Ele começou a rir - Se você não morrer, eu vou cobrar. -

Depois de uma despedida tanto quanto calorosa por parte de Fran e de receber a melhor notícia de um dia inteiro por parte de Edward, sabia que minha missão estava apenas começando. Havia guardado tudo o que precisava em uma mochila, camisetas, dracmas e afins, coisas que o Quíron havia me entregado para a missão. Encontrei os meus dois parceiros no ponto de encontro. Lucas, como tinha se apresentado, queria saber meu nome. - Sou Augustus, é um prazer. - Depois de uma conversa rápida começamos a buscar pelo carro, que segundo a prole de Hefesto estava escondido em meio a arvores, com uma espécie de camuflagem de folhas. A história do carro era simples o garoto havia feito o mesmo do zero quando tinha tempo e acabou achar melhor uso do que manter o mesmo escondido. Abri a pequena mochila enquanto caminhava. Tinha as luvas comigo e vesti as mesmas por cima dos anéis, que sempre iriam estar acompanhado do meu broche de Ares. Estava bem equipado. Ao tocar o bolso da calça pude notar o isqueiro, bem estava tudo como deveria estar. Finalmente encontramos o carro, tentei dar partida com as chaves mas o motor não ligava. Chelsea, a garota que não falava muito, pediu licença por um segundo. Como uma boa filha de Zeus ela conseguiu dar partida no carro, de uma forma eletrizante, por assim dizer. Depois de ligado havia uma questão no ar, quem iria dirigir? Eu sorri para ambos. - Vamos lá crianças, para dentro. - Disse brincando.

Comecei a dirigir, todos estavam bem organizados e arrumados para com o nosso carro, armas e pertences a todo instante por perto. A missão estava oficialmente com o pé na estrada.

Armas Consigo:


• Lança Sanguinária [Bronze Celestial // Com um metro e oitenta de altura, a lança é totalmente forjada em bronze celestial. Quando banhada em sangue fresco de um inimigo, em um golpe dado no turno anterior, ou mais cedo nesse mesmo turno, obrigatoriamente o próximo golpe se tornará indefensável. Se estiver banhada em sangue, a lança também é capaz de cortar através de qualquer magia ofensiva ou defensiva, ambas as habilidades podem ser usadas apenas uma vez por missão // Presente de reclamação de Ares].

• Couraça Mágica [Bronze Celestial // O peitoral de uma armadura forjado em bronze celestial e tingido de vermelho sangue, tornando-se um broche da mesma cor em formato de lanças cruzadas quando não está em uso. Possui a habilidade de refletir de volta no inimigo 10% de todo o dano físico que recebe enquanto a couraça está ativada // Presente de reclamação de Ares].

• Espada do Trovão [Espada // Aço // Espada de empunhadura de madeira e lâmina de aço de fio duplo extremamente pesada, possuindo dois metros de comprimento. É manuseada com duas mãos a menos que o semideus possua poder ou item que aumente sua força física. Possui poderes elétricos, dando choques no corpo de quem for atingido. Golpes de raspão não inclusos. Encantado para se tornar um isqueiro Zippo com gravuras de cabeça de javali. Encantada para quando a espada ser perdida retornar ao bolso do dono em forma de isqueiro. // Missão Narrada - Dionísio // Encantada por Edward Quinn].

• Summon [Anel // Ouro // Anel simples, feito de ouro e sem nenhum adorno. Quando ativado, dá ao usuário a habilidade de invocar um monstro do bestiário cujo número de estrelas seja equivalente ao seu nível. Este será leal ao seu invocador, e o acompanhará até morrer ou durante quatro turnos. Um monstro por missão // Evento de Páscoa].

• Espada Escudo [Prata // Espada forjada em prata atinge seus dois metros de comprimentos, muito pesada. É manuseada com duas mãos a menos que o semideus possua poder ou item que aumente força física. Possui a habilidade de se transfigurar em um anel negro prateado ou em um escudo redondo de mesmo material que a espada, possuindo um metro de circunferência. // Missão Hunter // Atualizado por Zeus].

• Overpower [Luva // Prata // Luvas de prata com o desenho de um tridente na parte das costas da mão. Quando ativada, possui o poder de dobrar o dano de todos os poderes ativos durante três turnos. O efeito pode ser usado uma vez por missão.// Evento de Páscoa // Dado por Niklaus Müller Wolfstorm].
Progênie de Ares
Progênie de Ares
avatar
Augustus Owen McKnight
Fama : Glória (Good)


Ficha do personagem
PV:
860/860  (860/860)
PM:
860/860  (860/860)
PR:
860/860  (860/860)

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Trama] Sementes Mágicas!

Mensagem por Zeus em Qua Abr 22, 2015 2:35 pm

1. narração


Deu tudo errado, já que a ideia dos semideuses foi muito incoerente. O carro que eles tentaram ligar deu erro e ficaram parados na estrada. O que o restou foi chegar até a cidade desejada por carona de alguns caminhoneiros prestativos e dispostos a ajudá-los.

Quando chegaram na cidade não aguentavam mais o cheiro de seus corpos, fediam a galinha. A última carona havia sido em uma caçamba de um granjeiro. O dia havia começado esquisito para os semideuses, mas nada do que estaria por vir era realmente sucinto. Por que ir na capital floral dos EUA? Pelo simples fato que a deusa da agricultura ter um templo por ali? Mas não seria tão fácil assim.

Ao descerem no centro da cidade uma ninfa se aproximou, dava para notá-la, mas parecia disfarçada de humana com roupas de mortais. - Sou Greva, uma das ajudantes da deusa da agricultura. - sorriu de forma delicada para eles. - Preciso que me acompanhem, por favor! - a ninfa os guiou até uma pequena casa no meio daqueles prédios. ela parecia bem simplória e ninguém jamais notaria o que poderia existir lá dentro.

Ao passarem pela porta perceberam que tudo lá dentro era diferente, parecia que o interior era imensamente maior que o exterior, era assustador e podia-se notar uma imensa fazenda com plantações dentro daquele ambiente. - Estamos nas plantações sagradas da deusa. - várias ninfas cuidavam das pequenas plantações e aquilo encheu o olhos dos semideuses.

O clima lá fora parecia nublado, mas lá dentro era ensolarado. Um sol gostoso que enchia o ambiente de alegria, variados frutos e flores eram regados pelos seres da natureza, a maioria das coisas eram desconhecidos aos olhos humanos. - Ela os aguarda naquele lugar! - apontou a ninfa para uma outra casinha no centro das plantações. Quem os aguardava?

2. diretrizes


- A primeira regra e a mais importante: SIGA AS REGRAS;

- Tome cuidado com incoerência e siga os pontos obrigatórios, podendo soltar a imaginação a partir deles;

- Isso é uma missão narrada. Eu narro. Já lhes digo que tudo em batalha que não ter os verbos "tentar" e sinônimos serão considerados narração;

- 48 horas pra postarem, todos os três, na ordem que bem entenderem. (Até o dia 24/04 às 15:00 sem extensão do prazo.);

- Todos os itens que forem levados e todos os poderes passivos que tiverem efeito sobre a narração deverão ser lembrados em spoiler no final de cada post;

- Narrem todo o trajeto até a cidade, combinem entre si e parem assim que adentrarem na "casinha" no centro das plantações. E perdão a demora, não vai ocorrer novamente.

- É uma missão trama, qualquer deslize ou pseudo narração em batalha serão mortos sem piedade;

- Dúvidas MP.

T
R
A
M
A

T
T


"Memory is a curse more often than a blessing"
Deuses
Deuses
avatar
Zeus
Idade : 20

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Trama] Sementes Mágicas!

Mensagem por Augustus Owen McKnight em Qua Abr 22, 2015 7:43 pm

Tirando o conforto e tempo, quase não notei a diferença entre essa caminhada e ir de carro. Não me cansaria fácil e poderia fazer o dobro do percurso sem uma pausa. Mas por sorte de todos nós a caminhada não durou muito. Foi só a distância de sair da estrada principal do acampamento e ir direto para a primeira estrada rural conhecida. Uma vez lá, com ajuda dos "dotes" femininos da Chelsea conseguimos carona. De uma forma ou de outra o trajeto foi bem cansativo, cada vez que entravamos em um novo caminhão, muitos dos quais apenas eu e o Lucas ficávamos na traseira, sentia o estomago chacoalhar.

- Guardamos o melhor para o final. - Disse, observando o próximo caminhão qual iriamos entrar, fedia a pena molhada e ração, bem coisa de galinheiro. Claro que eu não tinha problema com o cheiro ou com locais ruins daquele caminhão granja. De um modo geral alguns semideuses estavam acostumados a situações ruins, no meu caso já havia passado por tantas que nem sequer me dava o luxo de me importar em ficar fedido. - Vamos lá. - Afirmei, sorrindo para ambos, segundo Chelsea esse caminhão iria para o centro de NY, onde lá seria bem mais fácil pegar um transporte adequado até nosso destino. Subimos na parte de trás do automóvel e partimos para o que seria nosso último transporte até o momento. Respirei fundo enchendo o peito de ar, para me acostumar com o ambiente.  Logo o caminhão começou a se mover e eu tive tempo de tirar uma última pequena soneca. Assim como fiz em todos o percurso, usei o mínimo de contato possível, não queria ser um incomodo, nem tirar o foco da missão.

Logo quando descemos a filha de Zeus foi se despedir e agradecer o caminhoneiro, que diferente dos outros, tinha uma esposa ao lado. Fiquei esperando sem dizer uma sequer palavra para o filho de Dionísio. A garota voltou a passo que uma ninfa, bem disfarçada, requisitou a nossa presença. Afirmando que tínhamos que seguir a mesma, com a promessa de que fosse importante e uma pista seguimos ela. Claro, por todo percurso até a casa mantive meus instintos a toda. A casa era pequena, simples no meio dos prédios, ou parecia ser. Pois certamente não era. Por dentro era bem maior, me lembrando um parque nacional, só que com pessoas cuidando dos frutos, regando e colhendo, até mesmo adubando. A cada passo que dava sentia uma sensação estranha. Ela nos guiava até uma porta. O clima era quente, agradavelmente quente. Mas de uma hora pra outra minha mente começou a trabalhar. Estiagem, sementes mágicas. Greva parecia realmente disposta a ajudar, mas como sempre a chance de armadilha é alta.

Por um segundo temi que as palavras proferidas pela ninfa fossem alarmantes. "As plantações sagradas da deusa". Estiagem, quem mais poderia causar algo desse tipo, em um local tão bem protegido, se não a própria mãe terra, Gaia? Pensamento igual passou por minha mente naquele instante, fazendo o meu corpo se arrepiar, mesmo tento a sensação de que a temperatura realmente aumentou de uma hora pra outra. A cada passo eu estava sendo atraído. O tempo começou a passar devagar, eu queria correr daquele lugar, mas grande parte da minha mente afirmava que aquilo não passava de um delírio. Mais de perto notei que a porta na verdade era uma segunda casa. Coloquei a mão sobre a maçaneta. - Vamos lá? - Perguntei, sorrindo para os dois e abrindo a porta por fim. Entramos no local à espera de surpresas.

Armas Consigo:

• Lança Sanguinária [Bronze Celestial // Com um metro e oitenta de altura, a lança é totalmente forjada em bronze celestial. Quando banhada em sangue fresco de um inimigo, em um golpe dado no turno anterior, ou mais cedo nesse mesmo turno, obrigatoriamente o próximo golpe se tornará indefensável. Se estiver banhada em sangue, a lança também é capaz de cortar através de qualquer magia ofensiva ou defensiva, ambas as habilidades podem ser usadas apenas uma vez por missão // Presente de reclamação de Ares].

• Couraça Mágica [Bronze Celestial // O peitoral de uma armadura forjado em bronze celestial e tingido de vermelho sangue, tornando-se um broche da mesma cor em formato de lanças cruzadas quando não está em uso. Possui a habilidade de refletir de volta no inimigo 10% de todo o dano físico que recebe enquanto a couraça está ativada // Presente de reclamação de Ares].

• Espada do Trovão [Espada // Aço // Espada de empunhadura de madeira e lâmina de aço de fio duplo extremamente pesada, possuindo dois metros de comprimento. É manuseada com duas mãos a menos que o semideus possua poder ou item que aumente sua força física. Possui poderes elétricos, dando choques no corpo de quem for atingido. Golpes de raspão não inclusos. Encantado para se tornar um isqueiro Zippo com gravuras de cabeça de javali. Encantada para quando a espada ser perdida retornar ao bolso do dono em forma de isqueiro. // Missão Narrada - Dionísio // Encantada por Edward Quinn].

• Summon [Anel // Ouro // Anel simples, feito de ouro e sem nenhum adorno. Quando ativado, dá ao usuário a habilidade de invocar um monstro do bestiário cujo número de estrelas seja equivalente ao seu nível. Este será leal ao seu invocador, e o acompanhará até morrer ou durante quatro turnos. Um monstro por missão // Evento de Páscoa].

• Espada Escudo [Prata // Espada forjada em prata atinge seus dois metros de comprimentos, muito pesada. É manuseada com duas mãos a menos que o semideus possua poder ou item que aumente força física. Possui a habilidade de se transfigurar em um anel negro prateado ou em um escudo redondo de mesmo material que a espada, possuindo um metro de circunferência. // Missão Hunter // Atualizado por Zeus].

• Overpower [Luva // Prata // Luvas de prata com o desenho de um tridente na parte das costas da mão. Quando ativada, possui o poder de dobrar o dano de todos os poderes ativos durante três turnos. O efeito pode ser usado uma vez por missão.// Evento de Páscoa // Dado por Niklaus Müller Wolfstorm].

Progênie de Ares
Progênie de Ares
avatar
Augustus Owen McKnight
Fama : Glória (Good)


Ficha do personagem
PV:
860/860  (860/860)
PM:
860/860  (860/860)
PR:
860/860  (860/860)

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Trama] Sementes Mágicas!

Mensagem por Chelsea S. Meulenbrock em Qui Abr 23, 2015 9:12 am


Era uma vez ... ♕

uma garota de nome Chelsea Meulenbrock


Sabe quando eu disse que não deveria confiar nos instintos dos meus companheiro de missão? Pois então, também não devia ficar confiando só nos meus poderes que papi soberano e poderoso me concedeu via genética, além daquele filho de Hefesto que tava na cara que não fez uma faculdade de engenharia para construir um carro, mesmo que aquilo fosse uma super lata velha, minha desconfiança não era assim tão sem sentido, eu avisei que a probabilidade de dar merda era grande, ou foi só pensamento? Foda-se, agora estávamos sem veículo para prosseguir, eu me recusava a entrar dentro daquele táxi das tias doidas, primeiro porque eu não queria morrer, segundo era o fato de que minha dívida com elas extrapolava o valor aceitável.

– Sabia que a gente não deveria confiar naquele trambiqueiro daquele filho de Hefesto! – Resmunguei batendo a porta do carro e andando pela estrada. Junte uma garota com raiva portando um machado, um alcoolatra de 16 anos – ou 17 não sabia ao certo a idade de Lucas – e um filha do deus da guerra de quase 1,90, o que nós parecíamos para você caro leitor? Não precisa responder, claro. Na maior parte do tempo prosseguimos assim, eu caminhava um pouco atrás dos dois, me deem um desconto também, minhas pernas eram menores, eu era menor e carregava um machado no ombro direito, quase joguei aquela merda de machado ali na beira da estrada mesmo. Todas as nossas tentativas de conseguir uma garota eram em vão, então eu resolvi apelar.

Deixei minhas coisas na beira da estrada e pedi para os meninos esperarem, quando vi um caminhão vindo eu comecei a pular e a gritar no meio da estrada, de longe ele já me viu e foi parando aos poucos, pelo menos isso. – Olá, Olá. – Falei um pouco ofegante me aproximando do motorista que tinha uma mulher consigo, sua esposa? Talvez, agora nós precisávamos de carona, mesmo que fosse naquele caminhão de ... galinhas? Pelos olimpianos, eu não tinha que passar por isso. – Meus irmão e eu ficamos perdidos na estrada, nosso carro parou de funcionar, precisamos chegar em NY, o senhor pode nos ajudar? – Meus olhos quase lacrimejavam ao falar aquilo, de fato eu não estava nenhum pouco com vontade de fazer aquilo, sabe, ir andando.

Ele aceitara, a mulher pediu para que eu entrasse na cabine e os garotos foram lá atrás com as galinhas. – Muito obrigado, nós já estávamos desesperados. – Passei boa parte da vagem assim, conversando com a moça, é claro que minha descendência semideus foi omitida, para todos os fins nós três éramos irmãos, falando em irmão eu estava com saudades de Chandler, não andava vendo-o muito nas últimas semanas. – Você parece com a filha desaparecida do governador da Louisianna, não parece querido? – Eu gelei nessa hora, já sabia que meu pai adotivo tinha espalhado cartazes por todo o país e fotos com o meu rosto e o do meu irmão, mas para minha sorte o caminhoneiro me olhou e riu da fala da esposa, convencido de que não era eu, ainda mais por falar de dois irmãos que seriam os que estavam com as galinhas e a filha do governador tinha só um irmão gêmeo, também desaparecido.

Agradeci a ambos quando descemos, os meninos menos agradecidos do que eu por terem ido lá trás junto com as galinhas, se via pelo cheiro que exalavam, quase gritavam por um banho. Antes que pudéssemos entornar um diálogo sobre para onde ir uma ninfa veio até nós, mesmo com as suas roupas mortais percebia-se o que ela era na verdade, olhei os garotos e depois para ela enquanto a seguíamos. – Isso ta me cheirando treta. – Comentei baixo mais com Lucas do que com Augustus, mas o filho da Ares poderia ouvir, estávamos próximos uns dos outros. Olhei a pequena casinha no meio de tudo aquilo, estava sendo fácil demais para nós, ainda mais depois do que Quíron disse, apertei o cabo do machado com força e caminhava junto com eles, sabia que o por de nossa viagem estava longe de ser nossa inusitada carona que cacarejava.

Poderes & Armas:
Ativos:
Não usados
Passivos:
Não usados
Armas:
• Espada Elétrica [Bronze Celestial // Uma espada de bronze celestial com a empunhadura envolta em couro. Sua lâmina encantada, ao contrário do metal que lhe dá origem é de coloração azulada e sempre que toca o inimigo libera correntes elétricas que aumentam o dano de seus golpes. Quando não está sendo usada, transforma-se em um anel de prata com o símbolo de um raio // Presente de reclamação de Zeus].

• Luvas Taurinas [Bronze Celestial // Um par de luvas de bronze celestial que protegem as mãos e o antebraço. Quando não estão em uso, disfarçam-se em duas pulseiras iguais, uma em cada pulso. Ao serem ativadas, dobram a força física do semideus // Presente de reclamação de Zeus].

•Machado [Madeira e Aço // Machado com cabo de madeira e cabeça única de aço. Possui cerca de setenta centímetros de comprimento // Comprado na Loja do Acampamento]

• Dachtylídi Vasiliá [Ouro // Um anel de ouro incrustado com uma pedra de rubi avermelhada. Possuí escrituras em sua volta, tanto interno e externo. Brilham quando a habilidade está em uso. O efeito do anel é criar uma área circular em volta do portador, 5 metros de raio, e tudo que estive dentro vai sofrer efeitos curativos. 25 PV, PM e PR pelo tanto de tempo que estiver dentro do círculo. Duração: 4 turnos // Missão One-Post // Atualizado por Zeus].

• Revenge [Colar // Prata // Colar com o pingente de uma balança, simbolizando o equilíbrio, feito inteiramente em prata. Quando ativado, tem o efeito de devolver todo o dano recebido no turno anterior a um inimigo. Uma vez por missão // Evento de Páscoa].


CHELSEA SHAW MEULENBROCK
Progênie de Zeus
Progênie de Zeus
avatar
Chelsea S. Meulenbrock

Ficha do personagem
PV:
620/620  (620/620)
PM:
620/620  (620/620)
PR:
620/620  (620/620)

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Trama] Sementes Mágicas!

Mensagem por Lucas Steban Heith em Qui Abr 23, 2015 12:22 pm


SEMENTES MÁGICAS

Não é querendo me gabar, mas eu sabia que aquilo iria dar errado. É claro que não contestei o plano de Augustus, muito menos a felicidade de Chelsea, contudo estava certo de que aquela lata velha não ia nos levar muito longe. Dito e feito! Ficamos parados os três na estrada, precisando seguir a pé na intenção de um dia, sabe-se lá Dionísio como, chegar ao nosso destino. Eu mesmo não estava muito esperançoso, embora continuasse a caminhada e não expressasse minha opinião. Reclamar não ia servir de nada naquela situação. A benção nos veio quando Chelsea resolveu usar de suas artimanhas femininas a fim de nos conseguir uma carona. Fiquei tentado a rir de suas tentativas, porque estas não eram tão boas, mas ainda assim surtiam o efeito desejado. Invés de continuar a pé, Augustus, Chelsea e eu começamos o ciclo vicioso das caronas. O lado engraçado é que Chelsea sempre ficava em lugares confortáveis, enquanto Augustus e eu éramos sutilmente jogados na traseira de um veículo qualquer – Às vezes acho que preferia ter nascido mulher. – Resmunguei comigo mesmo em uma dessas situações.

A última carona foi literalmente o fim. Um granjeiro?! E ele engoliu aquele papo de Chelsea sobre irmãos perdidos? O mundo é que estava perdido. Que belo trio de irmãos fazíamos, não? Com quase nada de semelhante entre nós. Dessa vez eu quis muito que não nos dessem carona, mas o destino resolveu ir contra os meus apelos e novamente fomos jogados na caçamba de um granjeiro. Soltei um suspiro pesado e lamentosos, mas logo precisei inspirar o ar e fiquei arrependido, pois tudo ao nosso redor fedia. Chelsea era a única que se salvava, pois ficou na frente com o motorista e sua mulher. Novamente eu via minha teoria de ter nascido mulher vir a tona. Como Augustus não era dado a diálogos, se limitava a ficar ali calado e sereno, resolvi seguir o seu exemplo e fechar os olhos para tirar um cochilo. Não era nada fácil ignorar o cheiro e os balanços, mas eu tentei.

Assim que descemos no centro da cidade uma ninfa se aproximou de nós. Apesar da névoa, era fácil perceber alguns trejeitos nela que a caracterizavam, mesmo com as roupas humanas que vestia. Era estranho que se aproximasse de nós daquela maneira, sabendo onde nos encontrar e indo de encontro ao objetivo de nossa missão. Afinal, ela se apresentou como Greva, uma das ajudantes da deusa da agricultura. Fiquei desconfiado com toda aquela coincidência, mas não hesitei antes de sorrir simpaticamente para Greva. Como bom filho de Dionísio, eu sabia atuar muito bem e evitar que transparecessem meus reais pensamentos. Nossa única opção era segui-la, sendo esta a única pista que tínhamos até então. Portanto começamos o trajeto em silêncio, indo parar em uma pequena casa que se perdia entre tantos prédios; caso não fosse a ninfa, a casa nunca seria notada, pois era muito simplória.

O simples passar da porta trouxe uma atmosfera totalmente diferente. Seu interior era amplo, diria que enorme e muito maior do que a cidade do lado de fora, com uma fazenda de plantações que superavam o alcance da vista. Como podia caber tudo aquilo ali? Franzi o cenho, talvez tão curioso quanto apreensivo. O clima também havia mudado, indo de nuvens escuras para um céu límpido e ensolarado. Somente um grande poder poderia manter aquelas instalações funcionando, principalmente os encantamentos. Segundo Greva, estávamos diante das plantações sagradas da deusa da agricultura. E Greva não era a única ninfa ali, muitas outras se dividiam e tomavam conta das plantações. Não era por menos que o ambiente destoava alegria, com seus variados frutos e flores, muito coloridos e chamativos aos olhos humanos. Eu mesmo fiquei tentando a pegar algum fruto e experimentar, mas a cautela me fez um semideus vivo. Greva disse que a deusa nos aguardava, apontando para outra casinha no centro das plantações. Mesmo eu querendo acreditar que fosse Deméter a deusa, meus instintos estavam alarmados demais, crentes de tudo aquilo ser uma armadilha. Não podíamos ter tudo de mão beijada, certo? Corretíssimo. Mas não havia opção exceto seguir até lá – Vamos, é o único jeito, embora algo ainda me pareça muito errado. – Murmurei para Chelsea e Augustus, seguindo ao lado deles. Discretamente levei meus dedos nervosos até o bolso do jeans, onde estava guardada minha eterna e sempre fiel mini garrafa de vinho.

PODERES PASSIVOS:
[Nível 15] Sentidos Aguçados – Como bom filho de Dionísio e patrono dos felinos, o semideus passa a ter três de seus sentidos (visão, olfato e audição) extremamente aguçados, sendo capaz de ouvir, sentir e ver três vezes além do normal.

ARMAMENTO:
• Florete Vinícola [Bronze Celestial // Um florete simples em bronze celestial que é capaz de se disfarçar em forma de uma mini garrafa de vinho, pequena o suficiente para ser levada no bolso. Sempre que atinge o alvo diretamente na pele, transmite pequenas substâncias alcóolicas que deixam o inimigo gradativamente bêbado, diminuindo reflexos, coordenação motora e retardando suas reações e movimentos // Presente de reclamação de Dionísio].

• Máscara Teatral [Bronze Celestial // Uma máscara de bronze celestial em forma da máscara teatral grega que representa o drama, ou a tristeza, que se torna um óculos ray-ban quando não está em uso. Possui a habilidade de causar alucinações em quem a olha, fazendo com que o inimigo veja vultos e imagens falsas que são geradas pela mente em princípio de loucura. Poderes de influência mental ou sentimental usados após o efeito da máscara serão potencializados // Presente de reclamação de Dionísio].

• Revenge [Colar // Prata // Colar com o pingente de uma balança, simbolizando o equilíbrio, feito inteiramente em prata. Quando ativado, tem o efeito de devolver todo o dano recebido no turno anterior a um inimigo. Uma vez por missão // Evento de Páscoa].

• Bracelete Vital [Bracelete // Prata // Um bracelete encantado por filhos de Hécate e feiticeiros de Circe e vendidos para loja de itens do acampamento, curam 200 de PV e 150 de PR uma vez por evento/missão/treino // Loja do Acampamento]
 


wine , parties, orgies , pac-man;
Progênie de Dionísio
Progênie de Dionísio
avatar
Lucas Steban Heith
Título : Novato
Fama : +3

Idade : 18

Ficha do personagem
PV:
540/540  (540/540)
PM:
540/540  (540/540)
PR:
540/540  (540/540)

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Trama] Sementes Mágicas!

Mensagem por Zeus em Dom Abr 26, 2015 5:31 pm

1. narração


Ao abrir a porta do pequeno chalé, eles encontraram uma mulher meio gordinha dançando ao som de uma banda chamada AC/DC. - Shook me all night long, yeah you, shook me all night long. Knocked me out. I said you! - sua voz era rouca parecida com o vocalista original da banda, ela rebolava ignorando a presença de todos. Berrava sempre nos refrões da música, ela cortava as mudas com uma tesoura brilhante. Estava tomando conta de um tipo de jardim mágico.

Retirou os fones de ouvidos ao notar a presença dos semideuses, deu uma risada gostosa e tentou ficar mais séria. - Olá queridinhos, sou Deméter. Me chamem de Demi! - ela revirou os olhos dispensando apresentações, apontou para uma mesa no centro da sala. O ambiente era florido, algumas plantas se mexiam e havia um sofá com detalhes de onça. Deméter era uma perua de bem com a vida e divertida.

- O pacote de vocês está dentro da caixinha, não abram aqui. Pois essas sementes são tão sensíveis. - ficou séria do nada e falou coisas sérias. - Elas não podem sair da caixa, senão morrem. Caso sejam jogadas em um solo arenoso terá sucesso. - não quis dar muita explicação. Teria que voltar para o olimpo em breve, os deuses não estavam podendo ficar por aí.

- Quando saírem dos meus jardins, terão que tomar uma rota diferente de volta para o acampamento. A volta não será simples como a vinda. Só falo isso, amorzinhos. - ela mandou uma piscadela e eles saíram do chalé, depois das plantações. Voltaram a ser ver na rua, sem direção, algo estranho tomava conta no ar. Já era de noite, a sensação dentro da casa da deusa era diferente. E fez com que o tempo no mundo real corresse de uma forma estupenda. Será que não havia se passado dias? Ou anos? As casas e o local pareciam ter mudado, não era como minutos atrás quando pisaram dentro da casa da deusa da agricultura. E agora? Tudo estava diferente!

2. diretrizes


- A primeira regra e a mais importante: SIGA AS REGRAS;

- Tome cuidado com incoerência e siga os pontos obrigatórios, podendo soltar a imaginação a partir deles;

- Isso é uma missão narrada. Eu narro. Já lhes digo que tudo em batalha que não ter os verbos "tentar" e sinônimos serão considerados narração;

- 48 horas pra postarem, todos os três, na ordem que bem entenderem. (Até o dia 28/04 às 15:00 sem extensão do prazo.);

- Todos os itens que forem levados e todos os poderes passivos que tiverem efeito sobre a narração deverão ser lembrados em spoiler no final de cada post;

- É uma missão trama, qualquer deslize ou pseudo narração em batalha serão mortos sem piedade;

- Dúvidas MP.

T
R
A
M
A

T
T


"Memory is a curse more often than a blessing"
Deuses
Deuses
avatar
Zeus
Idade : 20

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Trama] Sementes Mágicas!

Mensagem por Augustus Owen McKnight em Seg Abr 27, 2015 10:54 pm


Entrei na sala com confiança, mesmo que uma pequena parte de mim esperasse ser engolido pela terra do local, não deixei a insegurança me levar. Por um segundo me permiti ficar aliviado, um segundo apenas, então recobrei o estado de alerta. Quando avistei a deusa, bonita diga-se de passagem, cantando AC/DC. Ficamos observando por um tempo. A gordinha rebolava para lá e pra cá, dançando ao som da música. Olhei para os companheiros e Lucas sorria pra mim. - Vamos lá. - Disse baixinho, mais para mim mesmo do que para os outros dois. Fui na frente, arrumeis os cabelos e a jaqueta de couro, esperei não estar fedendo tanto. - Hm... Vossa... hm... Excelência? - Disse, olhando simpaticamente para a deusa. Ela escutou minha voz grave e retirou os fones. Antes de parar de cuidar do jardim, esboçou um sorriso. - Olá queridinhos... - começou a deusa.

Depois de se apresentar, sendo de fato direta, apontou o real motivo do nosso encontro. Desde o princípio, quando encontramos a ninfa, já estava em alerta. Mas ao ver uma deusa dar algo de tão bom grato e com tanta facilidade, fiquei ainda mais em alerta. Observei melhor o espaço a procura de guerreiros plantas, ou coisas do tipo, mas não ela apenas sorriu outra vez, quando a fitei por alguns segundos. - Muito bem. - Falei em tom simpático. - Todos nós ouvimos muito sobre a sua beleza e generosidade, Demi. - Nesse momento foi melhor um tom natural. Olhei para os outros dois. - Mas não imaginávamos que fosse tão grande assim, quando digo grande, me refiro a ambas. - Parei com os elogios por ai, sendo mais natural ainda, tendo em mente que todo deus gostava dessas coisas. Do nada ela havia ficado seria. Sua expressão mudou e ela entregou a caixa com as sementes para mim, dando toda a informação necessária. Logo em seguida explicou como tínhamos que pegar uma rota completamente diferente. Não entendi o por que naquele momento, mas certamente não viria boa coisa a seguir. "Bom, finalmente ação", pensei, comigo mesmo. Coisas poderiam ficar facilmente pior, mas ficaria divertido. A grande questão era, não tínhamos que ir até o templo? Não seria uma viagem longa e árdua?

Finalmente quando saímos do pequeno chalé, voltando ao acesso principal daquela casa, fiquei a me perguntar sobre toda aquela situação, montando esquemas na minha cabeça. O que aconteceria quando fossemos lá fora? Será que a casa mudava de localidade com o tempo, tento várias formas de acesso paralelas, mas com uma só saída? Bem, tirei esses pensamentos da cabeça e continuei andando, focado na missão, mantendo-me alerta. Guardei a caixa nas costas, dentro da mochila, e segui o caminho de volta até do lado de fora. Fiquei espantado com o que veria a seguir, tudo no lado de fora havia mudado, clima, tempo, ar. Tudo. - Santo Ares. - Disse em um sussurro, ficou desnorteado, se sentindo perdido. - O que aconteceu? - Questionou a si mesmo e aos colegas. Certamente o tempo lá fora havia passado. Ou regredido. Não havia como saber, nem como planejar o que aconteceria a seguir, mas certamente teriam que sair daquele local.


Armas Consigo:

• Lança Sanguinária [Bronze Celestial // Com um metro e oitenta de altura, a lança é totalmente forjada em bronze celestial. Quando banhada em sangue fresco de um inimigo, em um golpe dado no turno anterior, ou mais cedo nesse mesmo turno, obrigatoriamente o próximo golpe se tornará indefensável. Se estiver banhada em sangue, a lança também é capaz de cortar através de qualquer magia ofensiva ou defensiva, ambas as habilidades podem ser usadas apenas uma vez por missão // Presente de reclamação de Ares].

• Couraça Mágica [Bronze Celestial // O peitoral de uma armadura forjado em bronze celestial e tingido de vermelho sangue, tornando-se um broche da mesma cor em formato de lanças cruzadas quando não está em uso. Possui a habilidade de refletir de volta no inimigo 10% de todo o dano físico que recebe enquanto a couraça está ativada // Presente de reclamação de Ares].

• Espada do Trovão [Espada // Aço // Espada de empunhadura de madeira e lâmina de aço de fio duplo extremamente pesada, possuindo dois metros de comprimento. É manuseada com duas mãos a menos que o semideus possua poder ou item que aumente sua força física. Possui poderes elétricos, dando choques no corpo de quem for atingido. Golpes de raspão não inclusos. Encantado para se tornar um isqueiro Zippo com gravuras de cabeça de javali. Encantada para quando a espada ser perdida retornar ao bolso do dono em forma de isqueiro. // Missão Narrada - Dionísio // Encantada por Edward Quinn].

• Summon [Anel // Ouro // Anel simples, feito de ouro e sem nenhum adorno. Quando ativado, dá ao usuário a habilidade de invocar um monstro do bestiário cujo número de estrelas seja equivalente ao seu nível. Este será leal ao seu invocador, e o acompanhará até morrer ou durante quatro turnos. Um monstro por missão // Evento de Páscoa].

• Espada Escudo [Prata // Espada forjada em prata atinge seus dois metros de comprimentos, muito pesada. É manuseada com duas mãos a menos que o semideus possua poder ou item que aumente força física. Possui a habilidade de se transfigurar em um anel negro prateado ou em um escudo redondo de mesmo material que a espada, possuindo um metro de circunferência. // Missão Hunter // Atualizado por Zeus].

• Overpower [Luva // Prata // Luvas de prata com o desenho de um tridente na parte das costas da mão. Quando ativada, possui o poder de dobrar o dano de todos os poderes ativos durante três turnos. O efeito pode ser usado uma vez por missão.// Evento de Páscoa // Dado por Niklaus Müller Wolfstorm].
Progênie de Ares
Progênie de Ares
avatar
Augustus Owen McKnight
Fama : Glória (Good)


Ficha do personagem
PV:
860/860  (860/860)
PM:
860/860  (860/860)
PR:
860/860  (860/860)

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Trama] Sementes Mágicas!

Mensagem por Chelsea S. Meulenbrock em Ter Abr 28, 2015 10:33 am


Era uma vez ... ♕

uma garota de nome Chelsea Meulenbrock


Olhamos uns aos outros antes de entrarmos na cara, primeiro foi Augustus, eu e por último Lucas, estava sempre segurando meu machado por perto, sabe-se lá o tipo de coisa que poderia nos aparecer assim do nada, então era sempre bom estar preparada, visto também que nada de ruim tinha acontecido, agora imagine só, somos três semideuses, os pais dos 3 são olimpianos, e monstro nenhum veio até nós até agora? Sério? Algo de MUITO ruim estava por acontecer, qualquer ser em sã consciência dos fatos percebia aquilo tipo ... De MUITO longe, era uma missão perigosa, nós sabíamos disso, mas se fomos designados a ela era por sermos capazes, claro.

Eu sabia que deuses poderiam mudar sua forma corpórea,mas aquela forma de Deméter era horrível, quando ela se virou para nós e meu olhar encontrou o seu veio a sensação de que ela sabia tudo que se passava na minha mente. Linda, maravilhosa, super diva, gente quero ser como ela um dia, quem é Afrodite na fila do pão mesmo? Pois Deméter é a primeira!!! Pensei tudo de bom sobre ela que consegui imaginar e mais, não queria estar correndo o risco de ser amaldiçoada por uma olimpiana, minha tia, ali assim no nosso primeiro contato, sejamos bem francos, eu não tive contato com muitos deuses, o máximo que eu conhecia era o mal humor aparente de Dionísio, mas ele ainda não tinha me jogado uma praga, talvez não pudesse devido a seu castigo.

Prestei a devida atenção no que ela falava sobre as sementes, não abrir, claro. Aquilo deveria ter um poderio enorme, e de uma certa parcela sentia-me honrada com aquilo, creio que os garotos deviam estar sentindo isso também, ou não, cada um com a sua. Só de pensar nas consequências de falha da missão eu já sabia que poderíamos ser alvo de culpa ou então de total glória entre os semideuses, não sei vocês, mas eu prefiro a segunda opção, claro. Um dos meninos guardou as sementes e era a hora de partir, precisávamos voltar pro acampamento quando mais rápido possível, eu não estava com a menor vontade de ficar ali, sendo sincera, mas só de saber que nossa volta poderia ser tortuosa, ali não parecia tão ruim assim.

As coisas pareceram um pouco diferentes assim que saímos da cabana onde conversamos com Deméter e recebemos as sementes, mas de início nada que assustasse a minha pessoa, creio que nenhum deles. Fizemos o nosso caminho de volta, assim como o de ida, por minha parte calada, pelas deles eu não me importei, preferi deixar meus pensamentos longe, tentando imaginar quando eu ia conseguir falar com o meu pai e como um filho de Deméter iria gostar de estar ali, de conhecer sua própria mãe. – Vamos nos apressar, quero terminar com isso logo. – Murmurei para eles enquanto caminhava, já estávamos próximos a saída que tínhamos tomada para entrar, quando passamos pela porta eis a surpresa.

Meu queixo teria caído se no mesmo momento eu não tivesse o segurado com a mão livre, meu olhar percorria vários lugares, mas não reconhecia nenhum deles, o tempo, os prédios, tudo, parecia que tínhamos retrocedido no tempo, talvez, descartei a possibilidade de um local como o dito Cassino Lótus, quem sabe, era realmente confuso. – Nós estamos um pouco perdidos, rapazes. – Cocei a cabeça e olhei os dois, primeiro Augustus e depois Luc ao voltar olhar pra frente minha face ainda permanecia uma expressão perplexa com aquilo, como chegamos ali? Não sei, não importava. A pergunta maior era como sairíamos daquele lugar.

Poderes & Armas:
Ativos:
Não usados
Passivos:
Não usados
Armas:
• Espada Elétrica [Bronze Celestial // Uma espada de bronze celestial com a empunhadura envolta em couro. Sua lâmina encantada, ao contrário do metal que lhe dá origem é de coloração azulada e sempre que toca o inimigo libera correntes elétricas que aumentam o dano de seus golpes. Quando não está sendo usada, transforma-se em um anel de prata com o símbolo de um raio // Presente de reclamação de Zeus].

• Luvas Taurinas [Bronze Celestial // Um par de luvas de bronze celestial que protegem as mãos e o antebraço. Quando não estão em uso, disfarçam-se em duas pulseiras iguais, uma em cada pulso. Ao serem ativadas, dobram a força física do semideus // Presente de reclamação de Zeus].

•Machado [Madeira e Aço // Machado com cabo de madeira e cabeça única de aço. Possui cerca de setenta centímetros de comprimento // Comprado na Loja do Acampamento]

• Dachtylídi Vasiliá [Ouro // Um anel de ouro incrustado com uma pedra de rubi avermelhada. Possuí escrituras em sua volta, tanto interno e externo. Brilham quando a habilidade está em uso. O efeito do anel é criar uma área circular em volta do portador, 5 metros de raio, e tudo que estive dentro vai sofrer efeitos curativos. 25 PV, PM e PR pelo tanto de tempo que estiver dentro do círculo. Duração: 4 turnos // Missão One-Post // Atualizado por Zeus].

• Revenge [Colar // Prata // Colar com o pingente de uma balança, simbolizando o equilíbrio, feito inteiramente em prata. Quando ativado, tem o efeito de devolver todo o dano recebido no turno anterior a um inimigo. Uma vez por missão // Evento de Páscoa].


CHELSEA SHAW MEULENBROCK
Progênie de Zeus
Progênie de Zeus
avatar
Chelsea S. Meulenbrock

Ficha do personagem
PV:
620/620  (620/620)
PM:
620/620  (620/620)
PR:
620/620  (620/620)

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Trama] Sementes Mágicas!

Mensagem por Lucas Steban Heith em Qua Abr 29, 2015 2:02 pm


SEMENTES MÁGICAS

Não pensei que a deusa Deméter fosse ser tão... Exótica. Arqueei as sobrancelhas ao vê-la ali, tão distraída e pouco ligando para os olhares que nós, semideuses, lhe lançavam. Pior! Nós podíamos chamá-la de Demi! Esbocei um curto sorriso, mesmo que não entendesse nada da situação. Ainda estava nervoso com tudo aquilo, sem saber se devia ou não relaxar os sentidos. Era uma missão, não? Então isso queria dizer risco de vida. Além disso, Deméter simplesmente nos entregou as tais sementes mágicas! Fácil assim. Augustus ficou com elas, afinal ele vinha agindo como um líder desde o começo; eu não discordaria. As palavras da deusa soaram como um alerta, querendo dizer que seria melhor tomarmos cuidado. Novamente a apreensão nos inundou. Ainda assim começamos o caminho de volta, deixando a presença de Deméter e seguindo o caminho que havíamos tomado antes. Só havia um problema: as coisas tinham mudado. Augustus e Chelsea também perceberam, ao que apertei os lábios em um fina linha rígida. Ops. E agora, produção?

OFF: Perdoe o atraso na postagem, eu fiquei sem acesso a internet e não tive como postá-lo. Fiz isso pelo celular, então também peço compreensão pela qualidade da postagem. Não tenho certeza quanto a se você irá aceitá-lo, mas pelo menos tentei. Afinal, todos nós cometemos alguns atrasos devido a imprevistos na nossa vida pessoal. ^^

PODERES PASSIVOS:
[Nível 15] Sentidos Aguçados – Como bom filho de Dionísio e patrono dos felinos, o semideus passa a ter três de seus sentidos (visão, olfato e audição) extremamente aguçados, sendo capaz de ouvir, sentir e ver três vezes além do normal.

ARMAMENTO:
• Florete Vinícola [Bronze Celestial // Um florete simples em bronze celestial que é capaz de se disfarçar em forma de uma mini garrafa de vinho, pequena o suficiente para ser levada no bolso. Sempre que atinge o alvo diretamente na pele, transmite pequenas substâncias alcóolicas que deixam o inimigo gradativamente bêbado, diminuindo reflexos, coordenação motora e retardando suas reações e movimentos // Presente de reclamação de Dionísio].

• Máscara Teatral [Bronze Celestial // Uma máscara de bronze celestial em forma da máscara teatral grega que representa o drama, ou a tristeza, que se torna um óculos ray-ban quando não está em uso. Possui a habilidade de causar alucinações em quem a olha, fazendo com que o inimigo veja vultos e imagens falsas que são geradas pela mente em princípio de loucura. Poderes de influência mental ou sentimental usados após o efeito da máscara serão potencializados // Presente de reclamação de Dionísio].

• Revenge [Colar // Prata // Colar com o pingente de uma balança, simbolizando o equilíbrio, feito inteiramente em prata. Quando ativado, tem o efeito de devolver todo o dano recebido no turno anterior a um inimigo. Uma vez por missão // Evento de Páscoa].

• Bracelete Vital [Bracelete // Prata // Um bracelete encantado por filhos de Hécate e feiticeiros de Circe e vendidos para loja de itens do acampamento, curam 200 de PV e 150 de PR uma vez por evento/missão/treino // Loja do Acampamento]
 


wine , parties, orgies , pac-man;
Progênie de Dionísio
Progênie de Dionísio
avatar
Lucas Steban Heith
Título : Novato
Fama : +3

Idade : 18

Ficha do personagem
PV:
540/540  (540/540)
PM:
540/540  (540/540)
PR:
540/540  (540/540)

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Trama] Sementes Mágicas!

Mensagem por Zeus em Dom Maio 03, 2015 2:26 pm

1. narração


Ao olharem para trás a pequena casa desapareceu, tudo parecia um cenário apocalíptico. Tudo era uma destruição, casas e prédios destruídos, o ar carregava um cheiro de morte no ambiente. Não sabiam se o cheiro era de ferro antigo ou de sangue. O mundo já não era mais o mesmo e todos tinham noção desta coisa. Algo se aproximava, eles sentiam. Mas não conseguiam voltar para o acampamento, estavam sem rumo.

Um barulho ensurdecedor ecoou no ambiente. Um nuvem negra se aproximou dos semideuses, enquanto outra avermelhada se aproximava, eles ficaram preparados para o combate que se aproximava. Não sabiam se iria ou não conseguir se livrar de tudo aquilo. Mas o que eram aquelas manifestações, ou melhor abominações.

Os dois monstros se manifestaram e os estômagos ficaram embrulhados com a presença deles. Eram horríveis e com aparências medonhas. O monstro avermelhado fitou o filho de Ares e o deixou assustado, incapacitado de se mover. Enquanto a criatura negra arremessou dardos ósseos do seu pescoço nos campista. Com a ajuda do filho de Dionísio, o semideus que Ares conseguiu ser salvo do ataque.

- Contemplem o futuro não muito distante. - berrou a criatura avermelhada. - Seus esforços serão inúteis, o que está por vir vai destruir, matar, dilacerar seus sonhos. - a gargalhada de ambos se uniram e fizeram um som irritante. Augustus havia voltado ao normal, sentia um pouco de tontura, mas em segundos passou. O que iriam fazer? Tinham que atacar, se defender ou será que após refletir nas palavras dos monstros era mais fácil desistir? Deixar tudo e simplesmente aceitar a morte de bom grado?


2. estatísticas


Lucas Steban Heith
PV: 460/460
PM: 415/460
PR: 460/460

Chelsea S. Meulenbrock
PV: 540/540
PM: 540/540
PR: 540/540

Augustus Owen McKnight
PV: 760/760
PM: 760/760
PR: 760/760

Sanguinário Guerrilheiro
PV: 800/800
PM: 800/800
PR: 800/800

Perseguidor Astral
PV: 800/800
PM: 800/800
PR: 800/800

INFO:
Abominação: Sanguinário Guerrilheiro - Estes predadores ferozes sedentos por sangue têm um semblante tão apavorante que conseguem deter outras criaturas com um simples olhar hostil. Eles possuem sentidos aguçados e caçam qualquer coisa, seja por alimento ou por esporte. O sanguinário usa seu olhar de terror no começo de cada rodada, tentando imobilizar seus inimigos. Em seguida ele volta sua atenção a um alvo fraco, dilacerando-o com suas garras afiadas. Antes de escolher um novo alvo, a criatura atacará incansavelmente o mesmo oponente até matá-lo. Os sanguinários são adversários destemidos que não recuam sob nenhuma circunstância.

Abominação: Perseguidor Astral - Caçadores matreiros com sede de combate, os perseguidores astrais apreciam desafios e a fama. Muitos trabalham como assassinos e caçadores de recompensas, mas um perseguidor astral também pode acossar uma presa simplesmente para testar o seu valor contra um adversário digno. O perseguidor astral confia em sua invisibilidade e furtividade para apanhar suas presas de surpresa. Ele possui dardos ósseos venenosos em sua garganta, que consegue disparar com precisão letal. Esses dardos são empregados para desorientar e incapacitar os inimigos. Após deixar um ou mais adversários lentos ou imobilizados, o perseguidor parte para o combate corpo a corpo e emprega suas Barras rápidas contra a presa escolhida. Se a presa resistir ao efeito debilitante dos dardos, o perseguidor recua e fica invisível novamente, voltando aos ataques à distância e repetindo a mesma estratégia.
2. diretrizes


- A primeira regra e a mais importante: SIGA AS REGRAS;

- Tome cuidado com incoerência e siga os pontos obrigatórios, podendo soltar a imaginação a partir deles;

- Isso é uma missão narrada. Eu narro. Já lhes digo que tudo em batalha que não ter os verbos "tentar" e sinônimos serão considerados narração;

- Resumo dos seus movimentos em spoiler no final dos posts.

- 48 horas pra postarem, todos os três, na ordem que bem entenderem. (Até o dia 05/05 às 15:00 sem extensão do prazo.);

- Todos os itens que forem levados e todos os poderes passivos que tiverem efeito sobre a narração deverão ser lembrados em spoiler no final de cada post;

- É uma missão trama, qualquer deslize ou pseudo narração em batalha serão mortos sem piedade;

- Dúvidas MP.

T
R
A
M
A

T
T


"Memory is a curse more often than a blessing"
Deuses
Deuses
avatar
Zeus
Idade : 20

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Trama] Sementes Mágicas!

Mensagem por Lucas Steban Heith em Seg Maio 04, 2015 1:24 am


SEMENTES MÁGICAS

A mudança drástica de cenário deixou-me perplexo. Tudo havia mudado, sem exceções. Olhei para trás em busca da pequena casa, mas ela não estava mais lá. O cenário apocalíptico reinava, repleto de casas e prédios destruídos. Também sentia um cheiro terrivelmente familiar, parecido com a mistura desagradável de sal e ferrugem; o característico odor de sangue. Eu estava realmente muito perplexo – Pessoal, isso é alguma espécie de reality show dos deuses? Porque eu cobro por hora. – Balbuciei para Augustus e Chelsea, que tinham ficado tão pasmos quanto eu. Antes que eu pudesse processar melhor a situação, um barulho ensurdecer preencheu-nos os ouvidos – Que merda... – Deixei a frase no ar. Uma nuvem negra aproximou-se de onde estávamos, seguida de outra avermelhada. Não consegui conter o impulso e levei os dedos diretamente a mini garrafa de vinho que tinha nos bolsos, transformando-a em florete. O que quer que estivesse aproximando-se de nós... Era perigo na certa.

Pense em uma pessoa muito feia, agora multiplique infinitas vezes e talvez, apenas talvez, você fosse ser capaz de visualizar os dois monstros a nossa frente. Todos os meus sentidos diziam-me para correr, dar o fora enquanto ainda tinha chance – se é que essa possibilidade existia. E parecia que eu não era o único a estar morrendo de medo, afinal o próprio Augustus ficou paralisado de medo, sem mover sequer um músculo. Apertei os dedos em torno da empunhadura do florete, querendo e também não querendo fazer alguma coisa. O próprio conflito em pessoa. Mas a necessidade falou mais alto. De repente nós estávamos os três ali parados, olhos fixos e amedrontados nos dois monstros que nos confrontavam. No segundo seguinte um deles, a criatura negra, arremessou dardos ósseos contra nós. Meu primeiro reflexo foi correr, mas não podia fazê-lo e deixar Augustus parado ali, principalmente porque ele não dava sinais de vida – Augustus! – Gritei enquanto fechava meu punho esquerdo em seu pulso em um aperto de ferro e tentava puxá-lo para longe dos dardos. Graças à Dionísio que eu tinha reflexos rápidos.

Parecíamos a salvo, mas apenas naquele mísero instante. A criatura vermelha manifestou-se, dizendo-nos para contemplarmos o futuro não muito distante – Até parece... Espero que meu futuro envolva garotas. – Retruquei, ainda que estivesse assustado. Quando você já está com medo... Bom, não incentiva muito que monstros terríveis fiquem lhe dizendo que você vai morrer; sinceramente, eu esperava mais apoio moral. E adivinhe só? Eles estavam rindo! Lancei um olhar nervoso para meus colegas semideuses. O que iríamos fazer? Aqueles dois monstros pareciam duros na queda, seria praticamente um suidício tentar atacá-los. Pena que lutar fosse nossa única opção; era isso ou morrer sem lutar – Eu não quero morrer assim, sabem? Então acho bom fazermos alguma coisa. – Disse para Augustus e Chelsea. O problema é que não é fácil pensar em alguma coisa contra monstros grandões e assustadores. Augustus não quis saber muito de papo – isso parecia um costume -, afinal estava tão irritado que praticamente declarou que o monstro vermelho ficava sobre sua responsabilidade. E por que eu iria argumentar contra? Cada um carrega a sua cruz, e eu preferia partilhar a minha. Voltei o rosto para Chelsea – Então... Somos nós. – Arqueei a sobrancelha esquerda – Você é filha de Zeus, certo? Vamos ver se você voa bem... Eu vou tentar distrair o monstro, e você ataca quando encontrar a chance. – Resumi todo o plano daquele jeito, porque não parecia que tínhamos muito tempo para conversa – Caso eu morra... – Dei um passo em direção a ela, chegando bem perto de seus lábios – Deixa pra lá. – Abri um sorriso divertido. Eu conseguia ser palhaço até quando estava na pior.

Às vezes eu agia feito um homicida, o que não quer dizer que odiasse a minha vida ou algo do gênero, simplesmente faz parte do ofício de ser um semideus. Tomei a frente de Chelsea, agitando a mão esquerda no ar – Ei, grandalhão! Você mesmo, coisa feia! – Tentei chamar a atenção do monstro enegrecido, o mesmo que havia nos atacado antes. Seu olhar sobre nós causou-me calafrios, mas nem por isso interrompi o que já tinha em mente. Simplesmente comecei a correr em direção a ele, saltando os obstáculos agilmente e tentando ser o mais rápido o possível. Provavelmente eu pareceria estar querendo morrer. Mas não, invés disso guiei minha corrida em direção as laterais do monstro, cercando-o feito uma mosca irritante que não quer ir embora. Corria um sério risco, mas estava confiante em meus reflexos e também na agilidade, principalmente porque tinha os sentidos aguçados. De onde estava, ainda em movimento, elevei um pouco a mão esquerda e tentei fazer com que videiras se enrolassem ao redor do monstro, estas vindas do próprio asfalto abaixo de seus pés. Tentava imobilizá-lo, ou pelo menos impedir que corresse atrás de mim. Então vinha a cartada final! Diminui a área de corrida que fazia em círculos, estreitando a distância entre o monstro e meu corpo. Dessa forma tentava me aproximar dele, de modo que estendi a mão vazia para tocá-lo. Esperava conseguir usar um pouco do meu poder, distraindo-o e dando espaço para Chelsea. Ou pelo menos era isso que tentava fazer. Iria recuar assim que o tocasse.

PODERES PASSIVOS:
[Nível 03] Ambidestro – Os filhos de Dionísio se mostram extremamente habilidosos ao manusear armas e outros itens com ambas as mãos, uma perícia que em muito os ajuda em combates e outras situações.

[Nível 09] Reflexos Gatunos – Por sua ligação forte com os felinos, os filhos de Dionísio possuem os reflexos aprimorados e acima do normal, mesmo quando estão sob o efeito de drogas. Agem e reagem com a rapidez de um gato.

[Nível 15] Sentidos Aguçados – Como bom filho de Dionísio e patrono dos felinos, o semideus passa a ter três de seus sentidos (visão, olfato e audição) extremamente aguçados, sendo capaz de ouvir, sentir e ver três vezes além do normal.

[Nível 19] Imune a Toxinas – Os filhos de Dionísio possuem toxinas e venenos dentro do próprio corpo pelo excesso de ingestão de drogas naturais, químicas e sintéticas, tornando-se completamente imunes a venenos e afins.

PODERES ATIVOS:
[Nível 10] Embriaguez – O filho de Dionísio, através do contato físico, é capaz de colocar o inimigo em estado de embriaguez, como se tivesse bebido muito. Causa diminuição de reflexos e perda de coordenação motora.
Duração: 2 turnos.
Gasto: 20 PM

[Nível 08] Armadilha de Videiras – Videiras brotam do chão ao comando do semideus, se enrolando nas pernas do inimigo e prendendo-o.
Gasto: 15 PM
Evolução: Afeta até três inimigos de uma só vez.

[Nível 02] Enxaqueca – O filho de Dionísio é capaz de causar uma forte enxaqueca no oponente apenas com o toque.
Duração: 2 turnos.
Gasto: 10 PM.

ARMAMENTO:
• Florete Vinícola [Bronze Celestial // Um florete simples em bronze celestial que é capaz de se disfarçar em forma de uma mini garrafa de vinho, pequena o suficiente para ser levada no bolso. Sempre que atinge o alvo diretamente na pele, transmite pequenas substâncias alcóolicas que deixam o inimigo gradativamente bêbado, diminuindo reflexos, coordenação motora e retardando suas reações e movimentos // Presente de reclamação de Dionísio].

• Máscara Teatral [Bronze Celestial // Uma máscara de bronze celestial em forma da máscara teatral grega que representa o drama, ou a tristeza, que se torna um óculos ray-ban quando não está em uso. Possui a habilidade de causar alucinações em quem a olha, fazendo com que o inimigo veja vultos e imagens falsas que são geradas pela mente em princípio de loucura. Poderes de influência mental ou sentimental usados após o efeito da máscara serão potencializados // Presente de reclamação de Dionísio].

• Revenge [Colar // Prata // Colar com o pingente de uma balança, simbolizando o equilíbrio, feito inteiramente em prata. Quando ativado, tem o efeito de devolver todo o dano recebido no turno anterior a um inimigo. Uma vez por missão // Evento de Páscoa].

• Bracelete Vital [Bracelete // Prata // Um bracelete encantado por filhos de Hécate e feiticeiros de Circe e vendidos para loja de itens do acampamento, curam 200 de PV e 150 de PR uma vez por evento/missão/treino // Loja do Acampamento]

RESUMO DOS MOVIMENTOS:
No início do post Lucas puxou Augustus para longe do ataque do Perseguidor Astral (êxito confirmado já na narração). Combinando tomar conta do Perseguidor Astral com a ajuda de Chelsea, Lucas resolve distrair o inimigo, correndo até ele com o auxílio de sua agilidade e reflexos aprimorados – além dos ótimos sentidos. De início corre fronte ao mesmo, mas depois começa a fazer círculo e tenta não ser atingido, desviando também de obstáculos causados pela destruição do cenário. Ele tenta invocar videiras para imobilizar o inimigo, e em seguida estreita a distância entre ele e o monstro na intenção de tocá-lo e assim fazer uso dos poderes Embriaguez e Enxaqueca. Recua assim que consegue tocar o monstro. Todas as ações estão em condição de tentativa.
 


wine , parties, orgies , pac-man;
Progênie de Dionísio
Progênie de Dionísio
avatar
Lucas Steban Heith
Título : Novato
Fama : +3

Idade : 18

Ficha do personagem
PV:
540/540  (540/540)
PM:
540/540  (540/540)
PR:
540/540  (540/540)

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Trama] Sementes Mágicas!

Mensagem por Chelsea S. Meulenbrock em Seg Maio 04, 2015 2:00 pm


Era uma vez ... ♕

uma garota de nome Chelsea Meulenbrock


Há aquele lindo ditado, sobre tudo que está ruim pode piorar, lei de Murphy, eu acho. Já não bastava estarmos presos naquele cenário meio pós apocalipto-lipso-lipseilá, isso daí, depois de uma guerra bem pesada, ainda nos aparece duas criaturas pra lá de estranhas. Olhei pra trás, quem sabe desse tempo de pedir arrego a Deméter, ela pareceu legal, eu era sua sobrinha, meio irmã da sua filha Perséfone, os olimpianos são estranhos, mas vai que cola né, nem que eu tivesse que ajoelhar e pedir encarecidamente, tudo bem que seria covarde da minha parte, mas se alguns preferem morrer como heróis eu prefiro sobreviver mesmo.

Não bastavam ser feios, tinham que falar merda, olha, sinceramente eu não tinha pretensão nenhuma de ter um futuro como aquele, se bem que tudo que eu tinha planejado para o meu futuro possivelmente viria por água abaixo, como aquela faculdade de cinema em Oslo, ah! As vagas pareciam tão legais a princípio, o a grade escolar, tudo, mas agora ser uma cineasta estava fora de cogitação, minha mãe não poderia ter transado com um cara menos problemático e cheio de inimigos, o que Zeus tem de proles ele tem de gente que o odeia, eu te amo pai, mas essa é a verdade.

– Eu não sei eles, mas eu não pretendo terminar assim, meu anjo. – Se anjos parecessem com aquilo nós estávamos na merda, pois vou te dizer, ô criaturinhas feias, além de estarem se achando os bambambans, vão se catar, keep calm and relax, honey. Eu segurava o machado com força, imaginava que parte do monstro eu poderia arrancar e qual plano os garotos estavam bolando em suas cabeças mirabolantes, como filho de Ares eu pensava que Augustus já deveria ter algo na cabeça, Lucas eu não sei, sempre o achei mais cafajeste do que um guerreiro.

Falando na prole da guerra ele já tinha auto declarado um inimigo como seu, olhei pra Lucas e depois pra Augustis que já parecia partir agressivamente pra cima do inimigo, se ele queria enfrentar a criatura sozinho, quem sou eu para dizer que não, né? Olhei pro inimigo que estava mais próximo de nós, ele era uma criatura horrenda e com aqueles espinhos, eu já imaginava os ataques que poderia fazer, estava em meus curtos, porém atentos, devaneios quando ouvi a voz de Lucas, sendo engraçadinho como sempre.

Arqueei a sobrancelha e olhei pra Lucas quando ele se aproximou, minhas bochechas coraram com aquilo e eu só empurrei Lucas para que ele fizesse o que tinha que fazer, nós não tínhamos tempo de prolongar as bobagens dele ou alguma coisa do tipo. Flexionei os joelhos um pouco, segurei o cabo do machado com a mão canhota. – Couro Taurino, claro. – Comentei baixo impulsionando e saindo do chão com o voo. Enquanto Lucas o distraía tratei de voar em circulos ao redor dele, era bem rápido, o intuito inicial era que ele não conseguisse saber a posição exata do ataque que viria a seguir. Passei ao machado para a mão direita e o giro parou onde seriam suas costas, cravei o machado com força e rapidez, puxando-o de volta. Girei novamente em sentido contrário, até por que eu já estava ficando tonta de um lado só também né. Dessa vez parei na frente, com o machado entre os dedos da mão canhota e a espada que já brilhava eu a cravei em seu peito, possivelmente uma descarga elétrica o percorria, enfiei uma, duas vezes, com uma certa rapidez que os genes de meu pai haviam me dado, girei novamente em volta dele antes de me afastar estando em suas costas, a alguns metros do chão, um pouco longe, queria pensar que protegida.

Poderes & Armas:
Poderes:
[Nível 04] Couro Taurino – O filho de Zeus poderá ativar essa habilidade, que endurecerá a pele do mesmo, cortando o dano do inimigo para qualquer tipo de ataque, pela metade.
Gasto: 30 PM por turno.
Evolução: Durante o turno de ativação, o filho de Zeus ficará invulnerável.

[Nível 03] Agilidade – O filho de Zeus possui uma agilidade de movimento, pois os ventos parecem ajuda-lo, abrindo o caminho e também impulsionando-o em seus movimentos.

[Nível 09] Visão Aprimorada – O filho de Zeus, utilizando da visão das águias, poderá visualizar bem até 200m de distância.

[Nível 10] Voar – O filho de Zeus poderá voar perfeitamente nesse nível, desde que seja coerente na altura que atingirá, vide o poder do nível 01.

[Nível 15] Aerocinese – O filho de Zeus possui a habilidade de mover correntes de ar, mas seu controle é mínimo se comparado a um filho de Éolo.

[Nível 19] Mestre dos Ares – Os filho de Zeus utilizam as correntes de ar como um impulsionador, assim, ele voará muito mais rápido, aos olhos do inimigo, por vezes, não passará de um vulto.

Armas:
• Espada Elétrica [Bronze Celestial // Uma espada de bronze celestial com a empunhadura envolta em couro. Sua lâmina encantada, ao contrário do metal que lhe dá origem é de coloração azulada e sempre que toca o inimigo libera correntes elétricas que aumentam o dano de seus golpes. Quando não está sendo usada, transforma-se em um anel de prata com o símbolo de um raio // Presente de reclamação de Zeus].

• Luvas Taurinas [Bronze Celestial // Um par de luvas de bronze celestial que protegem as mãos e o antebraço. Quando não estão em uso, disfarçam-se em duas pulseiras iguais, uma em cada pulso. Ao serem ativadas, dobram a força física do semideus // Presente de reclamação de Zeus].

•Machado [Madeira e Aço // Machado com cabo de madeira e cabeça única de aço. Possui cerca de setenta centímetros de comprimento // Comprado na Loja do Acampamento]

• Dachtylídi Vasiliá [Ouro // Um anel de ouro incrustado com uma pedra de rubi avermelhada. Possuí escrituras em sua volta, tanto interno e externo. Brilham quando a habilidade está em uso. O efeito do anel é criar uma área circular em volta do portador, 5 metros de raio, e tudo que estive dentro vai sofrer efeitos curativos. 25 PV, PM e PR pelo tanto de tempo que estiver dentro do círculo. Duração: 4 turnos // Missão One-Post // Atualizado por Zeus].

• Revenge [Colar // Prata // Colar com o pingente de uma balança, simbolizando o equilíbrio, feito inteiramente em prata. Quando ativado, tem o efeito de devolver todo o dano recebido no turno anterior a um inimigo. Uma vez por missão // Evento de Páscoa].


CHELSEA SHAW MEULENBROCK
Progênie de Zeus
Progênie de Zeus
avatar
Chelsea S. Meulenbrock

Ficha do personagem
PV:
620/620  (620/620)
PM:
620/620  (620/620)
PR:
620/620  (620/620)

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Trama] Sementes Mágicas!

Mensagem por Augustus Owen McKnight em Ter Maio 05, 2015 3:32 am

Para muitos a raiva é um gatilho, geralmente para o descontrole, muitos dizem que atrapalham na consciência durante a batalha e te levam a derrota. Por sorte nada disso se aplica a mim, por sorte ou por sangue. A maior herança de meu pai, a mais importante, com maior valor, jamais foi outra coisa senão o ódio, a capacidade de estourar o gatilho, de explodir em fúria, rancor, ódio, raiva e todos esses sentimentos, tão puros, que rondam o coração de um filho da Guerra. A princípio admirei o cenário, parecia pouco tempo depois de uma guerra, meu pai certamente ficaria orgulhoso com a destruição, não queria comentar nada com ninguém, mas estava admirado. Minha admiração durou segundos, rapidamente adentrando meu campo de visão, vieram duas nuvens. Uma estava mais na frente, a negra, que logo depois de chegar foi acompanhada pela vermelha, preparei-me para a batalha, deixando minha lança em posição. Não tive tempo, aquelas coisas tinham outro plano. Medonhas como eram fariam muitos ficarem assustado, não queria temer as criaturas, mas era difícil. Ao olhar pra elas o ódio e raiva se apagaram no peito. O olhar do monstro vermelho havia me paralisado.

Não sentia medo a muito tempo, mal me lembrava de como a sensação era ruim, meu peito se fechou em um nó. Não conseguia me mover um dedo sequer, queria puxar o gatilho, mas meus dedos estavam duros como pedra. Se não fosse por Lucas estaria morto. Um filho de Ares salvo por um de Dionísio. O monstro negro havia atirado dardos em minha direção, eu poderia desviar, se tivesse conseguido me movimentar. No último segundo o garoto me salvou. Eu respirei fundo, completamente amedrontado. Cai de joelhos para frente e olhei para os semideuses e para os monstros, uma tontura me dominava o corpo. Eu estava tão fraco, tão amedrontado. Cerrei os dentes. - Malditos... - Dizia com a voz rouca. - Malditos... - Dizia com raiva de mim mesmo, com raiva de ser tão franco. - MALDITOS! - Gritei, puxando o gatilho, sentia o medo e a tontura sendo davam lugar ao ódio e a raiva. Sentia um fogo fazer minhas veias latejaram. Soquei o chão com força, um pedaço de algum prédio que tinha sido destruído. Havia uma aura em torno de meu corpo, desejava a morte daquele ser vermelho.

A raiva se tornou meu combustível, nada mais me importava, o mundo, o acampamento, nada, aqueles dois que poderiam morrer lutando, nenhuma dessas coisas tinha valor. A única coisa que me interessava era causar o mesmo sentimento que aquele monstro tinha causado em mim. O medo. Se ele morresse antes de sentir aquilo, talvez eu estivesse satisfeito. Me levantei de vez, recolhi a lança. - POR ARES! - Gritei, o meu melhor grito de guerra. Minha tentativa era de paralisar o inimigo. Olhei o monstro nos olhos, não mais temendo ele, era minha vez de fazer ele temer. Corri alguns passos eu sua direção e ergui o braço, lançando a lança em sua direção, na tentativa de acertar o monstro. Enquanto corria pensei em duas possibilidades. No caso de acerto iria tentar atravessar a lança em seu corpo com força e completaria o ataque. Caso errasse simplesmente complementaria o ataque.  

Fui para cima dele de uma só vez, correndo a toda, peguei meu isqueiro no bolso e o transfigurei em espada, não tive dificuldade em segurar minha arma, ativei o poder do meu anel Espada Escudo e ele se transformou em escudo, agora sim estava pronto pra batalha. Para completar me equipei da couraça transfigurada do broche. Meu primeiro movimento ao chegar perto dele depois de resolver a questão do meu lançamento foi dar um giro para a direita, com a guarda do escudo alta, para tentar cortar seu braço direito. Tinha planejado um combo. Logo em seguida tentaria bater com o escudo no peito do meu alvo e faze-lo se afastar pra trás, com o tamanho grande da minha espada tentaria atravessar seu corpo com a arma, fazendo não só um grande estrago mas também causando uma descarga elétrica caso acertasse. Se acertasse, eu torcia que sim, iria puxar a espada para cima numa tentativa de cortar o monstro ao meio, matando-o. Mesmo que errasse esse golpe, tentaria decepar sua cabeça, com agilidade, para garantir que ele morresse. De toda forma usaria meu escudo para tentar me defender.

Ainda que tudo desse errado eu tinha uma surpresa, meu movimento surpresa seria empalar o inimigo, invocando as lanças do chão. Tentaria executar o movimento, pegando ele de surpresa junto com uma ilusão, a raiva me consumia por sede de sangue, eu queria matar o monstro, estraçalhar, tentaria de tudo para o fazer.

Adendos:


Armas:


Armas Utilizadas:
• Lança Sanguinária [Bronze Celestial // Com um metro e oitenta de altura, a lança é totalmente forjada em bronze celestial. Quando banhada em sangue fresco de um inimigo, em um golpe dado no turno anterior, ou mais cedo nesse mesmo turno, obrigatoriamente o próximo golpe se tornará indefensável. Se estiver banhada em sangue, a lança também é capaz de cortar através de qualquer magia ofensiva ou defensiva, ambas as habilidades podem ser usadas apenas uma vez por missão // Presente de reclamação de Ares].

• Couraça Mágica [Bronze Celestial // O peitoral de uma armadura forjado em bronze celestial e tingido de vermelho sangue, tornando-se um broche da mesma cor em formato de lanças cruzadas quando não está em uso. Possui a habilidade de refletir de volta no inimigo 10% de todo o dano físico que recebe enquanto a couraça está ativada // Presente de reclamação de Ares].

• Espada do Trovão [Espada // Aço // Espada de empunhadura de madeira e lâmina de aço de fio duplo extremamente pesada, possuindo dois metros de comprimento. É manuseada com duas mãos a menos que o semideus possua poder ou item que aumente sua força física. Possui poderes elétricos, dando choques no corpo de quem for atingido. Golpes de raspão não inclusos. Encantado para se tornar um isqueiro Zippo com gravuras de cabeça de javali. Encantada para quando a espada ser perdida retornar ao bolso do dono em forma de isqueiro. // Missão Narrada - Dionísio // Encantada por Edward Quinn].

• Espada Escudo [Prata // Espada forjada em prata atinge seus dois metros de comprimentos, muito pesada. É manuseada com duas mãos a menos que o semideus possua poder ou item que aumente força física. Possui a habilidade de se transfigurar em um anel negro prateado ou em um escudo redondo de mesmo material que a espada, possuindo um metro de circunferência. // Missão Hunter // Atualizado por Zeus].

Armas Consigo:
• Lança Sanguinária [Bronze Celestial // Com um metro e oitenta de altura, a lança é totalmente forjada em bronze celestial. Quando banhada em sangue fresco de um inimigo, em um golpe dado no turno anterior, ou mais cedo nesse mesmo turno, obrigatoriamente o próximo golpe se tornará indefensável. Se estiver banhada em sangue, a lança também é capaz de cortar através de qualquer magia ofensiva ou defensiva, ambas as habilidades podem ser usadas apenas uma vez por missão // Presente de reclamação de Ares].

• Couraça Mágica [Bronze Celestial // O peitoral de uma armadura forjado em bronze celestial e tingido de vermelho sangue, tornando-se um broche da mesma cor em formato de lanças cruzadas quando não está em uso. Possui a habilidade de refletir de volta no inimigo 10% de todo o dano físico que recebe enquanto a couraça está ativada // Presente de reclamação de Ares].

• Espada do Trovão [Espada // Aço // Espada de empunhadura de madeira e lâmina de aço de fio duplo extremamente pesada, possuindo dois metros de comprimento. É manuseada com duas mãos a menos que o semideus possua poder ou item que aumente sua força física. Possui poderes elétricos, dando choques no corpo de quem for atingido. Golpes de raspão não inclusos. Encantado para se tornar um isqueiro Zippo com gravuras de cabeça de javali. Encantada para quando a espada ser perdida retornar ao bolso do dono em forma de isqueiro. // Missão Narrada - Dionísio // Encantada por Edward Quinn].

• Summon [Anel // Ouro // Anel simples, feito de ouro e sem nenhum adorno. Quando ativado, dá ao usuário a habilidade de invocar um monstro do bestiário cujo número de estrelas seja equivalente ao seu nível. Este será leal ao seu invocador, e o acompanhará até morrer ou durante quatro turnos. Um monstro por missão // Evento de Páscoa].

• Espada Escudo [Prata // Espada forjada em prata atinge seus dois metros de comprimentos, muito pesada. É manuseada com duas mãos a menos que o semideus possua poder ou item que aumente força física. Possui a habilidade de se transfigurar em um anel negro prateado ou em um escudo redondo de mesmo material que a espada, possuindo um metro de circunferência. // Missão Hunter // Atualizado por Zeus].

• Overpower [Luva // Prata // Luvas de prata com o desenho de um tridente na parte das costas da mão. Quando ativada, possui o poder de dobrar o dano de todos os poderes ativos durante três turnos. O efeito pode ser usado uma vez por missão.// Evento de Páscoa // Dado por Niklaus Müller Wolfstorm].


Poderes:


Poderes Ativos:

[Nível 02] Grito de Guerra – O filho de Ares tem capacidade de imitar o grito de seu pai que iniciava as guerras, causando pânico. O filho de Ares conseguirá paralisar o inimigo por um turno.
Gasto: 10 PM.

[Nível 04] Combo Selvagem – O filho de Ares, contaminado pela adrenalina da batalha, poderá realizar um combo no qual dois golpes seguidos serão tão rápidos que valerão por um e terão o dobro da força.
Gasto: 10 PR.

[Nível 10] Ilusão Sangrenta – O filho de Ares tem capacidade de criar uma ilusão na qual o inimigo foi derrubado em guerra e esta completamente ferido e cheio de sangue, incapaz de se mover, à beira da morte. Poderá durar até dois turnos. A ilusão poderá paralisar o inimigo ou deixá-lo confuso.
Gasto: 20 PM por turno.

[Nível 11] Líder do Batalhão – Como sempre, Ares era o que liderava a guerra, ao som de seus gritos selvagens. Nesse caso, seus filhos levarão consigo esse título de líder de batalhas e durante um turno, terão a sorte consigo. Todos os golpes dos aliados e seus, desde que FÍSICOS, terão maior chance de acerto.
Gasto: 35 PR.

[Nível 13] Sede de Sangue – O filho de Ares, ao realizar o primeiro corte no seu inimigo, entrará em um estado de selvageria. Sua agilidade irá aumentar a ponto de não passar de um borrão durante o ataque e a força do ataque será duas vezes maior.
Duração: 2 turnos.
Gasto: 35 PR.

[Nível 18] Imprevisível – O filho de Ares terá chance de um ataque surpresa e sangrento ao inimigo, ao ativar essa habilidade. Esta ataque não poderá ser previsto, mas isso não quer dizer que não poderá ser defensável, seja coerente. O ataque terá o dano dobrado, se for efetivado.
Gasto: 50 PR.

[Nível 22] Empalador – Empalar era uma técnica antiga usada em que a lança atravessa o corpo inteiro do inimigo até sair pela boca. O filho de Ares poderá invocar lanças do chão, abaixo dos inimigos, com esse objetivo.
Gasto: 60 PM.


Poderes Passivos:



[Nível 03] Força Descomunal – O filho de Ares possui uma força muito grande, poderá carregar peso com muita facilidade, utilizar armas pesadas, entre outras coisas.


[Nível 05] Temperamento Furioso – O filho de Ares estressa com qualquer coisa que vá contra seu pensamento e qualquer decepção é algo digno de explosões. Ele sente como se o sangue estivesse fervendo e seus ataques serão mais brutais e fortes, portanto, poderá acarretar maior dano.


[Nível 06] Maestria com Lanças – O filho de Ares possui certa facilidade em manejar qualquer tipo de lança, seus movimentos são mais certeiros.


[Nível 07] Ambidestria. – O filho de Ares possui facilidade em manejar duas armas ao mesmo tempo, uma em cada mão, de modo que facilita a batalha com mais de um inimigo, como em uma guerra.


[Nível 09] Rebeldia – O filho de Ares tem uma tendência à rebeldia, tornando-se capazes de resistir a ataques de influência e charmspeaking e também à aqueles passivos que exigem respeito. Isso apenas funcionará com semideuses de título abaixo que o seu ou o mesmo.


[Nível 10] Guerreiro Sanguinolento – Quando o filho de Ares estiver batalhando com mais de dois inimigos ao mesmo tempo, ele entrada em um estado de sanguinário violento, assim, sua velocidade e força de ataque aumentarão.


[Nível 12] Confiante – O filho de Ares, para ser um exímio guerreiro, deve ser confiante, sempre confiar em si mesmo, assim, isso influenciará diretamente em suas batalhas, que dará mais chance de acertar seus ataques.


[Nível 15] Cansaço Mínimo – O filho de Ares, para suportar assim como o pai as guerras mais violentas e sanguinárias, precisa ter uma resistência boa e um cansaço mínimo, portanto, a cada turno, o filho de Ares restaurará 35 PR e dificilmente se cansará em meio a batalhas.


[Nível 17] Imunidade à tortura – O filho de Ares tem maior resistência a dor, portanto ataques que intensificam a dor normalmente não lhe farão o efeito esperado e quando estiver sujeito a verdadeira tortura, não cederá.


[Nível 20] Aura Selvagem – O filho de Ares possui uma aura a sua volta que reflete a pura selvageria do mesmo em batalha, quando os aliados estão por perto, eles compartilharão dessa aura e todos terão um bônus de força, velocidade e agilidade.


[Nível 23] Perícia com Armamentos em Geral – O filho de Ares possui uma habilidade natural com todos os tipos de armas, podendo ao tocá-la, já desvendar como deverá usá-la, seus ataques serão mais certeiros e a arma será como uma extensão do próprio braço.


[Nível 27] Fogo da Guerra – O filho de Ares possui uma vontade louca de lutar durante as batalhas, portanto, será difícil sujeitar-se a poderes de paralisia ou congelamento, isso servirá apenas para os semideuses de título menor ou igual.



Resumo das ações:


O "Grito de guerra" é meu primeiro movimento e poder, com ele tento paralisar o Sanguinário Guerrilheiro. Tentei a principio atirar a lança em sua direção e já corri até ele, caso acerte o movimento usaria minha super força para fazer a mesma atravessar seu corpo. Caso erre continuo com meu combo, ignorando a parte que tento atravessar seu corpo. Mantendo o escudo para proteger o corpo de possíveis ataques do inimigo caso ele não fique paralisado. Em seguida utilizo o poder "Combo selvagem", para tentar cortar seu braço e tetar cortar ele ao meio, usando minha espada em sua barriga e depois a puxando com minha super força para cima. Por fim usei o poder "Imprevisível" junto com a "Ilusão Sangrenta" para combinar forças e aumentar a chance de exito na tentativa do ataque surpresa, seria este o golpe "Empalador"

O poder "Líder do batalhão" foi utilizado desde o primeiro movimento.
O poder "Sede de sangue" só deve ser levado em conta caso eu acerte algum corte no inimigo.








Progênie de Ares
Progênie de Ares
avatar
Augustus Owen McKnight
Fama : Glória (Good)


Ficha do personagem
PV:
860/860  (860/860)
PM:
860/860  (860/860)
PR:
860/860  (860/860)

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Trama] Sementes Mágicas!

Mensagem por Eros em Seg Maio 18, 2015 9:55 am

1. Narração


E finalmente a batalha começara. Lucas e Chelsea partiram para cima da abominação negra enquanto Augustus simplesmente fez da abominação vermelha seu alvo. Lucas começou a correr ao redor do monstro, que olhava para todos os lados, como se procurasse a posição exata do filho de Dionísio. Enquanto isso, a única semideusa do grupo voava com seu machado na direção da criatura negra. Quase que ao mesmo tempo, Augustus fez seu grito de guerra ecoar por todo o cenário catastrófico que se dava ao redor da batalha. O Sanguinário Guerreiro começara a partir para o ataque, mas ficou completamente paralisado quando ouviu o grito do filho da Guerra, que atira sua lança com maestria, atingindo não seu peito, mas sim seu ombro.

O garoto corria, transfigurando seu isqueiro em uma espada e estava emparelhado com a filha de Zeus, que, graças aos poderes de Augustus, também estava mais rápida, além de ser veloz por si só, enquanto o garoto do deus do Vinho criava algumas videiras do concreto – ou melhor, do solo abaixo do concreto –, que envolveram parte dos membros inferiores da criatura, imobilizando-a. O plano bem orquestrado dos três estava funcionando quase perfeitamente. Augustus manteve seu plano de atravessar a lança pelo ser que havia dado como seu inimigo, agora também com um escudo e a couraça e Chelsea parecia pronta para cravar seu machado no Perseguidor Astral.

Mas então veio a surpresa: o monstro negro lançou mais dos espinhos, dessa vez acertando um pouco abaixo do ombro esquerdo da garota, que imediatamente caiu no chão e rolou por alguns metros no asfalto, até bater as costas com força contra uma coluna que estava caída. A garota, graças à sua proteção taurina não desmaiara, mas estava paralisada devido às toxinas contidas nos espinhos. Lucas, por sua vez, diminuía sua distância do monstro, o que se provou um erro, uma vez que ele usou suas garras para tentar capturar o garoto, coisa que não aconteceu devido à sua velocidade, fazendo com que quatro longos arranhões percorressem seu peito, terminando logo abaixo do pescoço, lançando-o para longe, fazendo-o bater contra um prédio semi-derrubado, destruindo ainda mais sua estrutura.

Por fim, sobrara Augustus, que empalava a lança ainda mais contra o ombro da criatura, abrindo um vergão quando a mesma escapou, transformando o vergão em um buraco onde a pele da criatura rasgara. Com o escudo, ele se defendia dos quatro braços da criatura, a qual, um deles se tornou o alvo de sua espada. Infelizmente, no momento em que a lâmina fez contato com a pele rosada da criatura, ela arrancou o escudo do braço de Augustus com um dos braços restante, lançando-o contra o semideus e jogando-o longe. O filho do deus da Guerra, apesar da dor, resistiu ao ataque e continuou os rápidos movimentos, quase conseguindo fazer um corte profundo a ponto de arrancá-lo, antes que a criatura o acertasse com um dos braços esquerdos, socando-lhe o rosto, enquanto o outro braço esquerdo agarrara seu corpo, fazendo o garoto sentir a pressão. Se não fosse a couraça que usava, já teria sido feito em pedaços pelas lâminas que eram as garras da criatura em volta de seu corpo.

2. Situação


Lucas Steban Heith:

Consciente e bem, nos destroços de um prédio em ruínas, em algum lugar à esquerda do Perseguidor Astral. Dor constante causado pelos arranhões, que também causam perda de sangue. O impacto contra o prédio não causou dor, já que a dor dos arranhões é maior.

PV: 420/460
PM: 400/460
PR: 458/460

-15 PM pelo poder Armadilha de Videiras. -40 PV pelos arranhões. -2 PR pela perda de sangue (continuará até o fim da missão ou até conseguir estancar o ferimento).

Chelsea S. Meulenbrock:

Consciente, bem. Imobilizada pelos dardos por 3 turnos. Leves arranhões por ter rolado no asfalto e dor constante nas costas por batê-la contra a coluna.

PV: 510/540
PM: 470/540
PR: 540/540

-30 PM pelo poder Couro Taurino. -10 PV por rolar no asfalto, abrindo diversos arranhões. -20 PV por bater com as costas contra a coluna (Dano reduzido pela metade por causa do Poder Ativo)

Augustus Owen McKnight:

Consciente, levemente desnorteado. Preso nos braços da criatura e sem o escudo, que se encontra próximo ao Perseguidor Astral, na direção oposta do ser à qual Lucas se encontra, cerca de 15 metros à frente de Chelsea.

PV: 730/760
PM: 750/760
PR: 680/760

-10 PM pelo poder Grito de Guerra. -35 PR pelo poder Líder do Batalhão. -10 PR pelo poder Combo Selvagem. -35 PR pelo poder Sede de Sangue. -15 PV por ser atacado com o escudo. -5 PV pelo soco. -10 PV por estar sendo esmagado.

Sanguinário Guerrilheiro:

Ombro direito superior gravemente danificado pela lança e braço direito seriamente machucado, pelos cortes da espada. Braço esquerdo inferior na posse do semideus.

PV: 700/800
PM: 800/800
PR: 720/800

-10 PV pela lança atravessada. -40 PV pelo rasgo causado pela lança. -50 PV pelos cortes no braço direito (levando em consideração que bastam apenas alguns ataques para que o mesmo fique desmembrado do corpo). -80 PR pelos danos.

Perseguidor Astral:

Preso pelas videiras.

PV: 800/800
PM: 800/800
PR: 750/800

-50 PR pelo aperto das videiras em seus membros inferiores.


3. Off-Game


Olá! Estou assumindo a narração de sua missão e peço perdão em meu nome e em nome de toda a Staff pela demora. Parte disso se deu porque tive compromissos em Off durante esses três dias (assumi a narração na sexta), parte por problemas off do seu antigo narrador. Gosto de avaliar post por post e isso também fez com que demorasse mais, já que não apenas li, mas também avaliei seus posts anteriores. Até o fim da narração, irei dando dicas para que melhorem e concluam a missão com sucesso.

Primeiramente, isso foi algo que me deixou bem insatisfeito no começo, foi melhorando e então teve uma queda novamente: Coerência. Percebi que várias coisas estavam incoerentes com a narração de Zeus e com suas próprias narrações de um para o outro. Leiam sempre tudo o que seu(s) colega(s) postaram antes, porque isso diminui na nota. Verifiquem também erros de português, aqueles erros bobos que acabam descontando nota, sabem?

Agora, falando individualmente do post atual. Lucas: Gostei muito de seu post, foi quase perfeito e sem erros, mas tive que descontar nota em algumas partes, isso fez com que parte do que descreveu não funcionasse. Quanto aos arranhões e ser jogado contra o prédio, bem, isso é uma Missão Trama, não espere que seja fácil. Chelsea: Não vi muitos erros de português, mas a coerência ficou em falta dessa vez. Você vem escrito bem, mas nesse post deixou um pouco a desejar quanto à coerência. Sobre você não ter conseguido chegar perto da criatura e ter ficado paralisada, isso é uma punição. Eu li e reli seu post várias vezes para ter certeza, e em nenhum momento você deixa claro que tudo foi em tentativa, descrevia tudo como se tivesse certeza de que iria acertar, justamente por isso, perdeu muitos pontos e acabou não acertando. Augustus: Gostei de todos os seus posts, mas esse foi um pouco mais fraco comparado aos outros. Quando sigo fraco, quero dizer no sentido de coerência e erros de português. Apesar de não ter sido nada grave, os outros posts foram melhor trabalhados nesses dois quesitos. Não tenho o que reclamar sobre os ataques e suas descrições, mas o que disse para Lucas vale pra você também: não é tão fácil assim, tive que dar um jeito de alguma coisa dar errado pra você.

-> 72 horas pra postar a partir do meu post (tempo aumentado por ter demorado para continuar a narração);
-> Armas levadas, poderes ativos e passivos em spoiler, deixando em negrito os que estão em uso;
-> Pets não é necessários, portanto, não serão permitidos nessa missão;
-> Sintam-se livre para descrever o ambiente em que se encontra, mas não narrem o que está acontecendo. Vocês tentam fazer as coisas, eu decido se irá dar certo;
-> Essa missão expira em 01/06/2015 (off). Caso não seja concluída até então, será considerada falha (Estou dando duas semanas a mais para a conclusão, mas se necessário, aumentarei esse tempo, levando em consideração que a narração foi demorada);
-> Dúvidas, críticas e/ou sugestões, possíveis problemas e etc, me contate via MP ou skype (ymargini).

M
i
s
s
ã
o

T
r
a
m
a
Deuses
Deuses
avatar
Eros
Título : Deus do Amor
Fama : O Amor era o mais selvagem de todos os monstros.


Ficha do personagem
PV:
100/100  (100/100)
PM:
100/100  (100/100)
PR:
100/100  (100/100)

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Trama] Sementes Mágicas!

Mensagem por Eros em Sab Ago 22, 2015 11:24 am

Missão cancelada. Cada membro recebeu 400xp ou quatro níveis + 250 dracmas + 15 de Glória.
Deuses
Deuses
avatar
Eros
Título : Deus do Amor
Fama : O Amor era o mais selvagem de todos os monstros.


Ficha do personagem
PV:
100/100  (100/100)
PM:
100/100  (100/100)
PR:
100/100  (100/100)

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Trama] Sementes Mágicas!

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum