Bestiário

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Bestiário

Mensagem por Caos em Ter Fev 10, 2015 9:27 pm

1. os leveis


Divisão:
1 Estrela – Level 1 à 7.
2 Estrelas – Level 8 à 15.
3 Estrelas – Level 16 à 25.
4 Estrelas – Level 26 à 40.
5 Estrelas – Level 41 à 60.
6 Estrelas – Level 61 à 89.
7 Estrelas – Level 90 à 150

OBS: imagem dos monstros clicando em seus nomes.

2. os monstros


1 Estrela

Aparições - Estas assombrações inquietas espreitam nas sombras, sedentas por almas. As criaturas assassinadas por uma aparição se tornam novas aparições, dotadas de livre-arbítrio e tão odiosas quanto sua criadora. A aparição utiliza táticas de ataque-e-fuga, buscando flanquear para obter vantagem de combate, e depois atravessando paredes, portas e outros obstáculos para cortar a linha de vísão. Quando sangrar, ela foge, retornando apenas depois que tiver regenerado a maior parte ou todo o dano sofrido.

Carniçal - Os carniçais sentem uma fome insaciável por carne viva,que os leva a caçar vítimas sempre que possível. Eles imobilizam suas presas e as devoram enquanto o calor da vida ainda está infundido em seus corpos. O carniçal se lança contra qualquer coisa que possa comer, atacando com as garras até conseguir imobilizar a presa. Assim que isso acontece, ele ataca com sua mordida do carniçal.

Cães Infernais - Criaturas dos Campos de Punição. Seu pêlo é negro e formado a partir das sombras, ao passo que os dentes são brancos e tão afiados quanto uma espada. Os olhos vermelho-sangue enxergam perfeitamente tanto no escuro quanto em áreas iluminadas. Podem utilizar as sombras como portais e, por elas, viajar de um lugar a outro.

Chuul - O chuul espreita em lagos subterrâneos, reservatórios de água parada, grutas úmidas e fossas escuras, esperando pacientemente pela passagem de uma presa. O chuul se esconde sob a superfície de águas escuras esperando pacientemente por uma presa. Quando surge uma oportunidade, ele emerge com rapidez, agarra o inimigo com suas pinças e paralisa a vitima com os tentáculos venenosos em sua mandíbula.

Destrachan - Esta fera cega vaga pelas masmorras do mundo, confiando em seus demais sentidos para detectar suas presas. Ao encontrar algo comestível, o destrachan ataca com ondas sonoras destruidoras. Os sorrateiros destrachans conseguem detectar presas a até 10 quadrados de distância e preferem atacar à distância usando o poder pulso sonoro. Ele usa rajada vociferante contra os alvos mais próximos.

Diabrete - Os diabretes operam como espiões e emissários das criaturas mais poderosas. Os mortais frequentemente negociam com essas criaturas, pensando que esses seres frágeis são mais fáceis de controlar. Os diabretes são travessos, mentirosos e letais. Eles sentem prazer em iludir os mortais para que causem mal uns aos outros. Os diabretes relutam em lutar. Quando forçados a isso, eles usam sumir para ficarem invisíveis e esperam que um adversário se distraia antes de atacar com sua ferroada com a cauda. Se o combate estiver desfavorável para a criatura ou seus aliados, ele não hesita em fugir.

Dríade - As dríades são criaturas selvagens e misteriosas encontradas nas profundezas das matas virgens. Protetoras zelosas das florestas, elas não toleram a insolência de intrusos. As dríades defendem seus bosques e a vida silvestre com ferocidade. Elas empregam sua habilidade véu da enganação para atrair os intrusos para armadilhas. Em combate, elas usam uma combinação de velocidade e andar nas árvores para flanquear os oponentes.

Espectro - Insanos e intocados pelas memórias de sua vida passada, os espectros existem apenas para destruir os seres vivos. Eles se manifestam como aparições fantasmagóricas e distorcidas. O espectro se desloca invisível entre seus inimigos e apanha o máximo possível deles em sua barragem espectral. Até que o poder recarregue, ele emprega táticas de ataque-e-fuga combinadas com seu toque espectral.

Esqueletos - Mortos, que emanam da terra, composto apenas de ossos. Geralmente são guerreiros que travaram batalhas insanas e sangrentas. Algumas vezes estão armados e servem a Hades. Alguns podem ser manipulados por forças das trevas, que não sejam a do Deus dos Mortos.

Fantasma - Os fantasmas assombram locais abandonados, aprisionados à sua sina até finalmente alcançarem o descanso eterno. Alguns existem por um propósito, enquanto outros desafiam a morte por pura força de vontade. O fantasma vaga pelo local onde morreu, atacando qualquer coisa que acredite ser um inimigo.

Goblin - Na linguagem coloquial, Goblin é usado para identificar uma raça específica de humanoides pequenos e de gênio ruim. Os goblins esfaqueadores não lutam limpo. Eles se aglomeram sobre um mesmo inimigo e rapidamente se aproveitam das táticas dos Goblins para alcançar posições para flanquear. Se eles perceberem que estão perdendo a batalha, fogem esperando viver para lutar outro dia.

Licantropos - É um ser lendário, com origem em tradições europeias, segundo as quais, um homem pode se transformar em lobo ou em algo semelhante a um lobo em noites de lua cheia, só voltando à forma humana ao amanhecer. O Licantropo dos gregos é o mesmo que o Versipélio dos romanos. Possuem um corpo robusto e peludo, com garras extremamente afiadas. Um olfato primordial.

Myrmekos - Os Myrmekos são formigas muito grandes, com carcaças blindadas e de cor vermelho-sangue. Eles adoram metal brilhante, principalmente, ouro. Tem grandes pinças e usam de arma, suas mordidas (picadas que injetam veneno) e uma gosma, que é borrifada e dói muito quando atinge mucosas (olhos, nariz, ouvidos, etc).

Nereida - Na mitologia grega, as Nereidas eram as cinquenta filhas de Nereu e de Dóris. Nereu compartilhava com elas as águas do mar Egeu. Nereu, um deus marinho mais antigo que Poseidon, era filho de Pontos, era descrito como um velho pacato, justo, benévolo e sábio que representava a calma e serenidade do mar. Já Dóris era filha de Oceano e de Tétis sendo uma das três mil Oceânides. As Nereidas eram veneradas como ninfas do mar, gentis e generosas, sempre prontas a ajudar os marinheiros em perigo. Por sua beleza, as Nereidas também costumavam dominar os corações dos homens.

Ninfa - Na mitologia grega, ninfas são qualquer membro de uma grande categoria de deusa -espíritos naturais femininos, às vezes ligados a um local ou objeto particular. Muitas vezes, ninfas compõem o aspecto de variados deuses e deusas, ver também a genealogia dos deuses gregos. São frequentemente alvo da luxúria dos sátiros. Em outros resumos as ninfas seriam fadas sem asas, leves e delicadas.

Pégaso - É um cavalo alado, detentor dos céus, capaz de voar longas distâncias em grandes velocidades. Gostam de doces, como torrões de açucar, foram criados por Poseidon, e por isso, conseguem se comunicar com seus filhos através de seus pensamentos.

2 Estrelas

Carniçal Abissal - Essa criatura é oportunista e prefere aguardar até que seu inimigo esteja envolvído em combate ou distraído de alguma outra forma antes de atacar com sua mordida.

Célere - Os céleres são criaturas feéricas rápidas e malignas que mata outras criaturas em busca de alimento, tesouros ou pura diversão. Eles gostam de armar emboscadas e enganar seus inimigos e frequentemente se aliam a criaturas com os mesmos desejos. Se durante suas armações eles deixarem um adversário muito poderoso enfurecido, eles não se envergonham em fugir num coral de risos enervantes, deixando seus supostos aliados para se cuidarem sozinhos.
O célere fica de tocaia, esperando surpreender os inimigos. Ele utiliza ajuste feérico para ultrapassar as defesas dos adversários e ataca o indivíduo de aspecto mais frágil. Ele emprega o poder cortes rápidos sempre que possível, confiando em sua velocidade elevada para se esquivar dos ataques de oportunidade.

Ciclope - Os ciclopes são na mitologia grega, gigantes com um só olho no meio da testa que, trabalham com Hefesto como ferreiros, forjando os raios usados por Zeus. De acordo com sua origem, esses seres são organizados em três diferentes espécies: os urânios, filhos de Urano e Gaia, os sicilianos, filhos do deus dos mares Poseidon, e os construtores, que provêm do território da Lícia.

Centauro - Na mitologia grega, os centauros (em grego Κένταυρος Kentauros, "matador de touros", plural Κένταυρι Kentauri; em latim Centaurus/Centauri) são uma raça de seres com o torso e cabeça humanos e o corpo de cavalo. Os filhos de Íxion e Nefele, que simbolizavam a força bruta, insensata e cega. Viviam originalmente nas montanhas da Tessália e alimentavam-se de carne crua.

Corrompido Vidente - Os corrompidos são humanos insanos corrompidos pelo contato com um mal enlouquecedor. Os corrompidos podem ter várias formas e tamanhos, mas compartilham um desprezo universal pelas criaturas naturais. Os corrompidos se reúnem em bandos nômades e são atraídos ao serviço de criaturas aberrantes poderosas, como aboletes, observadores e devoradores de mentes. O corrompido vidente utiliza intuição asquerosa para beneficio de seus aliados enquanto emprega sua habilidade de teleporte e o poder dobrar o espaço para ficar fora de perigo. Ele arremessa orbes deformados até ser capaz de atingir múltiplos inimigos com sua rajada de distorção, sem se importar se seus aliados serão pegos pelo efeito.

Crânio Flamejante - Criados a partir da caixa craniana de magos e outros conjuradores, essas criaturas servem como guardiões mortos-vivos inteligentes. O crânio flamejante usa seu deslocamento de voa para ficar fora do alcance corpo a corpo, enquanto atinge os inimigos com seus poderes raio de chamas e bola de fogo. Ele é capaz de manipular objetos com o poder mãos mágicas; em combate, ele utiliza essa ou a Habilidade para acionar alavancas, reativar armadilhas, fechar portas e coisas similares.

Estrangulador - Os estranguladores atacam transeuntes desavisados com seus longos tentáculos e depois saqueiam seus corpos em busca de comida e bugigangas de valor.

Ettercap - Caçadores primitivos guiados pelo instinto, os Ettercaps usam teias para enredar suas presas e não se importam em matar e devorar criaturas inteligentes.

Feral - Descendentes de humanos e licantropos, os ferais se assemelham aos humanos, mas possuem traços animalescos. Alguns são bandidos cruéis e agressivos, enquanto outros se tornam heróis. Ele se concentra em um inimigo por vez. Se este inimigo se afasta, ele emprega seguir a presa para se manter próximo. Contra adversários com grande capacidade de manobra, o Feral utiliza cortar o tendão.

Gnoll - Os Gnolls são saqueadores ferozes, adoradores das trevas, que matam, roubam e destroem. Eles atacam comunidades em áreas de fronteira sem qualquer aviso e cometem assassinatos sem qualquer senso de misericórdia. O gnoll realiza uma investida com garras e em seguida emprega seu ataque corpo a corpo em movimento para atacar, posicionando-se de forma a obter os benefícios do poder ataque em matilha.

Harpia - As harpias são criaturas da mitologia grega, frequentemente representadas como aves de rapina com rosto de mulher e seios. As harpias eram irmãs de Íris, filhas de Taumante e a oceânide Electra.

Hipogrifo - Um hipogrifo é uma criatura lendária, supostamente o fruto da união de um grifo e um égua. A razão para sua grande raridade é que grifos desprezam cavalos, os quais consideram com os mesmos sentimentos que um cão tem sobre um gato.

Hipocampo - O Hipocampo (Grego: hippos = cavalo, kampi = monstro) é uma criatura mitológica partilhada pela mitologia Fenícia e Grega. Tem tipicamente sido descrito como cavalo na parte anterior do seu corpo como peixe na parte posterior como a cauda de um peixe escamoso, como um cavalo-marinho. Na mitologia grega, o hipocampo servia de companhia e montaria às nereidas e de animal de tração ao carro de Poseidon.

3 Estrelas

Abominação: Atropal - Os atropaís são criaturas calamitosas desprezadas pela vida. Atualmente eles existem apenas para trazer a destruição e o desespero para o mundo ao seu redor. Foram um projeto inacabado de deidades menores que possuíam uma centelha divina forte o suficiente para erguê-los como mortos-vivos. Alguns atropais vagam livremente entre os planos, enquanto outros estão presos em planos desconexos ou enterrados sob as ruínas de civilizações extintas. Um atropal flutua em direção às criaturas vivas e tenta envolver o maior número delas dentro da sua mortalha da morte. Ele depende de seus pontos de vida e deslocamento para resistir e sobrepujar seus adversários. Quando estiver cercado, ele emprega explosão de átropos e em seguida gasta um ponto de ação para desferir um toque necrotizante contra a criatura mais ferida. Ele então continuará a atacar esse inimigo com seu toque necrotizante, tentando matá-lo para recarregar sua explosão de átropos.

Abominação: Perseguidor Astral - Caçadores matreiros com sede de combate, os perseguidores astrais apreciam desafios e a fama. Muitos trabalham como assassinos e caçadores de recompensas, mas um perseguidor astral também pode acossar uma presa simplesmente para testar o seu valor contra um adversário digno. O perseguidor astral confia em sua invisibilidade e furtividade para apanhar suas presas de surpresa. Ele possui dardos ósseos venenosos em sua garganta, que consegue disparar com precisão letal. Esses dardos são empregados para desorientar e incapacitar os inimigos. Após deixar um ou mais adversários lentos ou imobilizados, o perseguidor parte para o combate corpo a corpo e emprega suas Barras rápidas contra a presa escolhida. Se a presa resistir ao efeito debilitante dos dardos, o perseguidor recua e fica invisível novamente, voltando aos ataques à distância e repetindo a mesma estratégia.

Abominação: Sanguinário Guerrilheiro - Estes predadores ferozes sedentos por sangue têm um semblante tão apavorante que conseguem deter outras criaturas com um simples olhar hostil. Eles possuem sentidos aguçados e caçam qualquer coisa, seja por alimento ou por esporte. O sanguinário usa seu olhar de terror no começo de cada rodada, tentando imobilizar seus inimigos. Em seguida ele volta sua atenção a um alvo fraco, dilacerando-o com suas garras afiadas. Antes de escolher um novo alvo, a criatura atacará incansavelmente o mesmo oponente até matá-lo. Os sanguinários são adversários destemidos que não recuam sob nenhuma circunstância.

Aranha Saltimorte - Esta feroz aranha caçadora realiza saltos imensos enquanto persegue sua presa. Ela não tece teias, mas fica de tocaia em fendas escuras ou sob alçapões. A aranha saltimotre geralmente espera de tocaia, escondendo-se numa árvore grande ou numa fissura profunda, ou sob uma camada fina de terra e folhas similar a um alçapão. Ela ataca saltando sobre as presas usando morte das alturas. Quando estiver sangrando, ela emprega pulo prodigioso para fugir.

Aves de Estinfália - Demônios alados carnívoros, com bicos de bronze e afiados como uma navalha. São conhecidos por estraçalhar tudo até os ossos. Podem ser derrotados por sons horríveis.

Cavaleiro da Morte -Cavaleiros da morte foram guerreiros poderosos que aceitaram se tornar mortos-vivos por toda a eternidade para não terem que enfrentar o fim de sua existência mortal. Com suas almas ligadas às armas que empunham, eles comandam poderes necróticos que se somam à capacidade marcial de outrora. Este cavaleiro da morte usa golpe contensor e desafio de combate rodada após rodada. Se seus aliados estiverem sofrendo muitos ferimentos, ele emprega desafio do guerreiro para atrair os ataques, gastando um ponto de ação para usar retomar o fôlego se necessário. O cavaleiro da morte utiliza chamas profanas quando estiver rodeado por vários aliados e inimigos.

Dracaenae - Espécie de mulheres metade serpente demoníacas. A parte inferior de seu corpo apresenta dois troncos de serpentes no lugar de pernas, tem olhos felinos e seu prato favorito somos nós, humanos.São seres mitológicos que meio sibilam, meio falam, criando sons estranhos. Seu andar é rastejante, como uma cobra, só que ereta.

Draconato - Os draconatos são guerreiros orgulhosos e honrados com poderosas tradições mágicas e antigos laços sanguíneos com os dragões. Embora já não tenham uma pátria ou um império próprios, os draconatos se integram facilmente a outras culturas. Como a maioria dos draconatos, é um lutador habilidoso e se lança ao combate sem hesitação. Ele prefere estar em meio ao combate corpo a corpo, onde pode tirar maior partido do seu espírito impetuoso. O draconato usa recuperação marcial para realizar um ataque adicional sempre que este poder estiver disponível. A criatura reserva seu sopro de dragão para quando vários inimigos estiverem dentro do alcance do poder.

Dragonete - Os dragonetes fazem seus ninhos em edifícios altos, reúnem- se em bandos e ameaçam os residentes das grandes cidades. Eles gostam de roubar objetos valiosos e só atacam presas maiores quando estão famintos ou quando seus ninhos são perturbados. O dragonete utiliza ataque aéreo de passagem e o poder arrebatar para roubar alguma coisa valiosa sem provocar ataques de oportunidade. Se obtiver sucesso, ele voa de volta para o seu ninho. Se sofrer dano, ele morde os inimigos enquanto emprega ataque aéreo de passagem.

Eidolon - Animados por meio de um ritual divino, estes construtos inteligentes servem como símbolo da devoção de seus criadores a uma divindade. Às vezes a centelha divina que anima um eidolon se corrompe, levando a criatura a voltar-se contra seus criadores. Esse eidolon "rebelde", acreditando ser um deus, procura novos seguidores para adorá-lo. O eidolon se move pouco em combate, confiando em seus aliados, sua postura santificada e o poder retribuição divina para se proteger. Quando um de seus aliados cai em batalha, o construto usa chamas vingativas. Quando todos os seus aliados estiverem mortos, o eidolon desfere pancadas contra os inimigos ao seu alcance, lutando até a morte.

Empusa - Na mitologia grega, Empusa é um dos espectros de Hecate, deusa dos caminhos. Acreditava-se que Hecate vagava à noite pela terra, acompanhada por seu séquito de espectros, vista somente pelos cães, cujos latidos indicavam sua aproximação.Tinham garras afiadas, eram mistura de burro com mulher tinha patas desproporcionais ao seu corpo e as patas eram de bronze. A Empusa pode metamorfosear-se em uma jovem bela a fim de atrair suas vítimas e assim se alimentar. Ela pertence ao Mundo Subterrâneo e habita as noites de terrores. Pode aparecer às mulheres e crianças sob diversas formas para assustá-las.

Ettin - Os Ettins são gigantes vorazes de duas cabeças que rondam em áreas desérticas de fronteira, florestas montanhosas e cavernas escuras. O Ettin enfrenta seus inimigos corpo a corpo, se locomove o necessário para alcançar um adversário que esteja vestindo uma armadura mais leve.

Erínias [Fúrias] - Também chamadas de  fúrias, são a personificações da vingança, semelhantes a Nêmesis. Enquanto Nemesis punia os deuses, as Erínias puniam os mortais. Vivem nas profundezas do submundo, onde torturavam as almas pecadoras julgadas por Hades e Perséfone. Nasceram das gotas do sangue que caíram sobre Gaia quando o deus Urano foi castrado por Cronos. Pavorosas, possuíam asas de morcego e cabelo de serpente.

Fera de Magma - As Feras de Magma são elementais ígneos das profundezas da terra, principalmente nos arredores do vulcão. Eles muitas vezes chegam ao mundo material por meio de fendas planares ou vórtices elementais em locais de intensa atividade vulcânica. Este elemental lança bolas de magma derretida sobre os inimigos antes de se aproximar para deliciar-se com a carne carbonizada.

Fera Deslocadora - A fera deslocadora é protegida por uma ilusão que dificulta determinar sua verdadeira localização. Elas residem em florestas densas e cavernas escuras. A fera deslocadora demonstra grande astúcia em combate, disparando entre os defensores para atacar os alvos mais fáceis e procurando obter vantagem de combate flanqueando os oponentes com a ajuda de um aliado. Se seu deslocamento for anulado, ela se desloca para recarregá-lo, arriscando sofrer um ataque de oportunidade se necessário.

Gárgula - As gárgulas permanecem como estátuas até detectarem a presença de intrusos por meio de seu sentido sísmico. ela reverte à sua forma normal e realiza ataques aéreos de passagem contra os alvos ao seu alcance. Eventualmente sua impaciência leva a melhor e ela aterrissa para enfrentar os inimigos no corpo a corpo. Se os inimigos se mostrarem muito fortes, a gárgula foge e busca um local seguro para se abrigar, revertendo à sua forma de pedra e regenerando-se.

Golem - Os Golens são construtos animados por magia, criados por magos, e outros mestres de conhecimentos secretos para proteger lugares importantes ou tesouros. Os golens possuem um mínimo de consciência para seguir ordens, mas como criaturas limltadas que são, só reconhecem os perigos mais óbvios. Usa ataques de impacto corpo-a-corpo em seus inimigos.

Grifo - Grifo é uma criatura lendária com cabeça e asas de águia e corpo de leão. Fazia seu ninho perto de tesouros e punha ovos de ouro sobre ninhos também de ouro. Outros ovos são frequentemente descritos como sendo de ágata.

Lestrigão - Gigantes muito fortes. Usam todo o tipo de armas de curta distância, de preferência, maças pesadas e pontudas, e são muito brutos e agressivos além de desinteligentes. Tem oito metros de altura e são canibais. A maioria dos lestrigões tem os braços tatuados e dentes pontudos e amarelos.

Minotauro - O Minotauro é uma criatura com a cabeça de um touro sobre o corpo de um homem. Habitava o centro do Labirinto, uma elaborada construção erguida para o rei Minos de Creta, e projetada pelo arquiteto Dédalo e seu filho, Ícaro especificamente para abrigar a criatura.

Queres - As queres são espíritos da doença, da peste e da violência. Se alimentam de morte violenta e qualquer corte ou arranhão que façam no corpo de seu oponente, o faz explodir em dor, e inicia uma infecção que só é curada por meio de poder divino.

Sereias - Da cintura pra baixo com rabo de peixe, são mulheres que entoam canções que tornam quem as ouvir mais sábios, além de mostrar os maiores desejos de uma pessoa. Atraem viajantes que vagam pelo mar, usando sua incrível beleza e sua música, e por consequência, naufragam navios e afogam os navegantes, pois estes se lançam ao mar ou se esquecem dos navios e da jornada.

Telquines - Demônios marinhos grandes que trabalham em forjas e fabricam muito das armas dos deuses. Tem o rosto de cachorro, com olhos marrons e orelhas pontudas. Seu corpo é preto e suas pernas são curtas e metade nadadeiras, metade pernas normais. Suas mãos tem aspectos humanos porém, com garras afiadas.

4 Estrelas

Abolete Açoitador - Os Aboletes são enormes criaturas anfíbias. Eles habitam o subterrâneo, nadando por fendas submersas ou arrastando- se por túneis escuros deixando o seu rastro mucoso por onde passam. Malignos e cruéis os aboletes submetem os humanóides à sua vontade e os mais poderosos dentre eles são capazes de transformar seus lacaios em terrores gosmentos. O abolete açoitador usa seu nevoeiro gosmento para prejudicar o deslocamento dos adversários e ao mesmo tempo obter vantagem de combate para si mesmo e seus aliados. Depois de cobrir o adversário com seu muco, ele utiliza seus tentáculos para dilacerar a pobre criatura até a morte.

Autômatos - São criados nas forjas de Hefesto e alguns deles são manipulados para o mal. Podem variar de tamanho e material, além de modelos. Podem ser touros, gigantes e etc. Geralmente são de prata e possuem uma intensa produção de calor, graças ao fogo em seu interior. Podem possuir cristais, para dar beleza ao autômato. São considerados como seres perigosos, graças a seu  grande poder destrutivo.

Azer - Estes anões infundidos com fogo costumam servir aos gigantes ou  titãs , seja por obediência ou devoção. Contudo, alguns azeres vivem em liberdade e buscam seus próprios objetivos, sejam benignos ou malignos. A água é seu maior ponto fraco, pois boa parte de seu corpo é composta de chamas.

Cambionte da Espada Infernal - Os cambiontes são o resultado do cruzamento entre criaturas e mortais corrompidos ou ignorantes e herdam as piores qualidades de cada um dos seus genitores. Um cambionte da espada infernal realiza uma investida contra um grupo de oponentes e emprega o poder investida em turbilhão. Em seguida ele se concentra no oponente que vê como mais fraco, buscando sangrá-lo ou matá-lo para obter os benefícios de seu pulso triunfante.

Cambionte Mago do Fogo Infernal - Um mago do fogo infernal usa seu raio de fogo infernal contra seus inimigos, derrubando-os e permitindo que seus aliados obtenham vantagem de combate. Contra adversários agrupados ele usa incandescer alma, para confundir.

Devorador de Mentes - Os devoradores de mentes utilizam seus incríveis poderes psíquicos para despedaçar a mente de seus inimigos. Depois que seus inimigos estão inconscientes, eles abrem seus crânios e devoram seus cérebros. Nem todas as criaturas que cruzam o caminho de um devorador de mentes terminam como comida; algumas são aprisionadas, enquanto outras são transformadas em escravos obedientes. Este devorador de mentes utiliza sua furtividade natural para se aproximar de suas vítimas sem ser visto e em seguida libera sua rajada mental. Entre os inimigos atordoados, ele escolhe alguém para atacar com seus tentáculos enquanto recorre ao poder seguir os inconscientes para evitar ataques. Se conseguir agarrar uma vítima com seus tentáculos, o infiltrador emprega o poder perfurar o cérebro até que a vítima morra ou consiga se libertar.

Diabo Barbado - Guerreiros ferozes dos lugares mais sombrios, os diabos barbados são 15 empregados como guardas e tropas de assalto por mortais malignos ou diabos mais poderosos. Eles são criaturas violentas e irascíveis que adoram o combate. O diabo barbado é um lutador corpo a corpo treinado para proteger os aliados adjacentes usando sua cooperação endiabrada. Ele só emprega suas garras se perder sua glaive.

Ethon - A águia (ou abutre) filha de Tífon com Equidna. Zeus a mandava toda noite ao monte Cáucaso para devorar o fígado de Prometeu, que a cada noite se reconstituía.

Manticora - É uma criatura mitológica, semelhante às quimeras, com cabeça de homem - por vezes com chifres, três afiadas fileiras de dentes de ferro e com voz trovejante - e corpo de leão (geralmente, com pêlo ruivo) e cauda de escorpião ou de dragão com a qual pode disparar espinhos venenosos. Em algumas descrições, parece com asas, variando as descrições, no que diz respeito às suas dimensões: desde o tamanho de leão até ao de cavalo.

Quimera - Grande monstro com cabeça de leão, uma juba untada de sangue, o corpo e os cascos de um grande bode. Sua cauda é uma serpente negra de dez metros de largura que cresce a partir de seu traseiro peludo. Respira e solta fogo.

5 Estrelas

Arbusto Trôpego - Esta planta carnívora ambulante apanha suas presas com seus grossos braços tentaculares e as aprisiona na massa viscosa do seu corpo, onde incontáveis radículas penetram na vitima. O arbusto trôpego tenta envolver e devorar seus inimigos.

Aranhas Gigantes - As Aranhas Gigantes são monstruosas e assassinas sorrateiras e famintas por sangue. Os maiores dentre estes aracnideos gigantes são do tamanho de elefantes e devoram qualquer coisa em seu caminho. As aranhas monstruosas podem ser encontradas praticamente em qualquer ambiente.

Andarilho da Noite - Criaturas que estão sendo liberadas dos mais profundo cantos do Tártaro. São seres odiosos de pura sombra que espalham a morte e o sofrimento. Normalmente encontrados nas áreas mais sombrias, mas também podem ser avistados perambulam pelo mundo material
durante noites particularmente profanas ou até mesmo permanentemente, nas proximidades de locais onde grandes males foram perpetrados. Ataques que envolvem a luz podem feri-los profundamente.

Bulette - Predadores fortemente blindados que escavam a terra. Caçam criaturas para saciar seu apetite e quando estão satisfeitos, retornam para as profundezas. São imunes a armas, desde que não seja o Bronze Sagrado, O Celestial e o ouro imperial. Estas três armas, são as únicas coisas que podem feri-lo e para complicar, tem que acertar as partes mais sensíveis dele, como seu rosto e barriga.

Cobras Gigantes - As Cobras monstruosas são caçadoras pacientes e sorrateiras que enxergam todos os seres humanos como presas. A maioria delas não passa de animais perigosos, mas um dos gigantes está abençoando algumas delas com um intelecto maligno. Cada uma possui uma capacidade específica de veneno e/ou poder. Assim como outras criaturas tenebrosas, não duram muito tempo no tártaro.

Ente - Um ente parece uma árvore animada com um rosto humanóide esculpido em seu tronco. Enquanto permanecer imóvel, é fácil confundi-lo com uma árvore comum. Ele desfere pancadas. Se for cercado por vários combatentes corpo a corpo, o ente emprega pisão abalador.

Escorpião do Tártaro - Altamente venenoso. É uma criatura malévola das áreas mais sombrias do Tártaro. Seu veneno é deteriorante e pode matar a presa em pouco tempo.

Fanghur - Seres voadores, de pele escamosa, semelhantes a dragões. Imobilizam suas presas mentalmente, usando uma espécie de grito psíquico. Podem lançar escamas. Seu bico e garras são extremamente afiados.

Górgonas - A Górgona (em grego: Γοργών ou Γοργώ; transl.: Gorgón ou Gorgó) é uma criatura da mitologia grega, representada como um monstro feroz, de aspecto feminino, e com grandes presas. Tinha o poder de transformar todos que olhassem para ela em pedra, o que fazia que, muitas vezes, imagens suas fossem utilizadas como uma forma de amuleto. A górgona também vestia um cinto de serpentes entrelaçadas.
Na mitologia grega tardia, diziam-se que existiam três górgonas: as três filhas de Fórcis e Ceto. Seus nomes eram Medusa, "a impetuosa", Esteno, "a que oprime" e Euríale, "a que está ao largo". Como a mãe, as górgonas eram extremamente belas e seus cabelos eram invejáveis; todavia, eram desregradas e sem escrúpulos. Isso causou a irritação dos demais deuses, principalmente de Atena, a deusa da sabedoria, que admirou-se de ver que a beleza das górgonas as fazia exatamente idênticas a ela. Atena então, para não permitir que deusas iguais a ela mostrassem um comportamento maligno, tão diferente do seu, deformou-lhes a aparência, determinada a diferenciar-se. Atena transformou os belos cachos das irmãs em ninhos de serpentes letais e violentas, que picavam suas faces. Transformou seus belos dentes em presas de javalis, e fez com que seus pés e mãos macias se tornassem em bronze frio e pesado. Cobrindo suas peles com escamas douradas e para terminar, Atena condenou-as a transformar em pedra tudo aquilo que pudesse contemplar seus olhos. Assim, o belo olhar das górgonas se transformou em algo perigoso. Na série, Euriale e e Esteno afirmam que apenas a Medusa pode petrificar. **

Lethrblaka - Criaturas musculosas, com patas traseiras fortes e pele grossa e resistente. Os olhos são do tamanho do punho de um homem adulto, sem pupila ou íris. Seu corpo não possui pelos. São dotados de grandes asas coriáceas e um bico de sete palmos de comprimento. Por suas veias corre um sangue azul-esverdeado.

Medusa - A Medusa, na mitologia grega, era um monstro ctônico do sexo feminino, uma das três Górgonas. Filha de Fórcis e Ceto, quem quer que olhasse diretamente para ela era transformado em pedra. Ao contrário de suas irmãs Górgonas, Esteno e Euríale, Medusa era mortal que atiçou Poseidon, ao deixar o deus enlouquecido com sua beleza, pediu no santuário de Athena que a salva-se, eis que teve sua salvação.

Squila - Tem um torso de uma bela mulher mas, em volta da cintura, possuía seis cabeças de serpente com três fileiras de dentes e um círculo de doze cães ladradores. Os cães a alertavam quando um navio estava passando, de forma que ela pudesse capturar os navegantes.

6 Estrelas

Aracne - Na mitologia greco-romana, Aracne era um tecelão que se gabava de ser mais hábil mortais como Minerva, o equivalente romano de Atena, deusa de artesanato. A deusa ofendido uma disputa entre os dois, mas, de acordo com Ovídio, Arachne não conseguiu superar. Além disso, o tema escolhido pela Arachne, os amores dos deuses, era ofensiva, o que causou Minerva transformada em uma aranha.

Basilisco - Em algumas descrições, o basilisco é uma serpente fantástica. É como uma serpente com uma coroa dourada e, no macho, uma pluma vermelha ou negra. O basilisco é capaz de matar com um simples olhar. Os únicos jeitos de matá-lo são fazendo-o ver seu próprio reflexo em um espelho, considerando-se que alguém chegue perto o bastante, ou com o canto do galo, que lhe é fatal. Ele nasce de um ovo de galinha chocado por uma rã.

Cérbero - É um monstruoso cão de três cabeças que guarda a entrada do Hades, o reino subterrâneo dos mortos, deixando as almas entrarem, mas jamais saírem e despedaçando os mortais que por lá se aventurassem.

Dragão da Cólquida - Conhecido como o guardião do velocino de ouro, no qual o herói Jasão e os argonautas conseguiram se apoderar. O dragão da Cólquida era muito grande, mas era muito lento. A lenda diz que dormia com um olho aberto e outro fechado. Muitos heróis tentaram, mas apenas Jasão conseguiu. Para conseguir o velocino dourado, os heróis teriam que matar búfalos de fogo, semear seus dentes, lutar com guerreiros cadavéricos nascidos dos dentes, chamados Sparti, derrotá-los para chegar até o dragão e matá-lo. Tudo isso no mesmo dia.

Equidna - É uma criatura monstruosa da mitologia grega, com tronco de uma bela mulher e cauda de serpente em lugar dos membros. Era gigante, como um titã. Por isso era á única capaz de se unir com o horrendo Tifão. Vivia numa caverna no Peloponeso. É descendente de Tártaro e Gaia.

Esfinge - A esfinge é uma figura da mitologia egípcia simbolizada por um monstro com cabeça humana e corpo de leão, com asas de pássaro ou cauda de serpente. Usada para guardar tesouros e seus esconderijos secretos. Inteligentíssimo, esse animal te prazer em inventar charadas e quebra-cabeças. Em geral, a esfinge só se torna perigosa quando aquilo que está guardando é ameaçado.

Fênix - A fênix ou fénix (em grego ϕοῖνιξ) é um pássaro da mitologia grega que, quando morria, entrava em auto-combustão e, passado algum tempo, renascia das próprias cinzas. Outra característica da fénix é sua força que a faz transportar em voo cargas muito pesadas, havendo lendas nas quais chega a carregar elefantes. Podendo se transformar em uma ave de fogo. Teria penas brilhantes, douradas, e vermelho-arroxeadas, e seria do mesmo tamanho ou maior do que uma águia. Há ainda a sua forma de gelo, a Fênix de Gelo. Ao invés de entrar em combustão, em sua morte ela se transforma em pequenos cristais de gelo, reconstituindo assim seu corpo destes restos. Possui uma forte baforada de gelo e costuma viver em áreas pacíficas e gélidas.

Gerion - Gerião (do grego antigo Γηρυών), na mitologia greco-romana, o nome de um dos gigantes, filho de Crisaor e de Calírroe, dotado de três cabeças; era irmão de Équidna, monstro metade mulher metade serpente, que gerou o cão Ortro, que velava pelo gado de Gerião.[1] Seu mito está ligado ao de Hércules, a quem coube, num dos seus trabalhos, roubar-lhe os bois.

Hidra de Lerna - A Hidra de Lerna era um animal fantástico da mitologia grega, filho dos monstros Tifão e Equidna, que habitava um pântano junto ao lago de Lerna, na Argólida, costa leste do Peloponeso. A Hidra tinha corpo de dragão e nove cabeças de serpente (algumas versões falam em sete cabeças e outras em números muito maiores) cujo hálito era venenoso e que podiam se regenerar. A Hidra era tão venenosa que matava os homens apenas com o seu hálito; se alguém chegasse perto dela enquanto ela estava dormindo, apenas de cheirar o seu rastro a pessoa já morria em terrível tormento.

Hecatônquiro - Os hecatônquiros (em grego Έκατόνχειρες Hekatonkheires, "os de cem mãos"), também conhecidos por Centimanos (do latim Centimani), eram três gigantes da mitologia grega, irmãos dos 12 Titãs e dos 3 Ciclopes, filhos de Urano e Gaia: Briareu ("forte"), Coto ("filho de Cotito") e Giges ("o membrudo"). Possuíam cem mãos(em algumas histórias, possuíam também, 50 cabeças).

Javali de Erimanto - Trinta metros de altura, um javali com presas do tamanho de canoas que se move extremamente rápido e é melhor para ser usado como meio de transporte do que ser enfrentado.

Kraken - O Kraken era uma espécie de lula ou polvo gigante que ameaçava os navios no folclore nórdico. Este cefalópode tinha o tamanho de uma ilha e cem braços, acreditava-se que habitava as águas profundas do Mar da Noruega, que separa a Islândia das terras Escandinavas, mas poderia migrar por todo o Atlântico Norte. O Kraken tinha fama de destruir navios, mas só destruía aqueles que poluíam o mar e navios de piratas. O Kraken também pode ser visto na mitologia grega como um polvo gigante com membros humanoides com uma armadura impenetrável e que habitava uma caverna submersa.

Leão da Neméia - O leão de Nemeia (em grego moderno: Λέων της Νεμέας, transl. Léōn tēs Neméas; em latim: Leo Nemaeus) é uma criatura da mitologia greco-romana que habitava a planície de Neméia, na Argólida, aterrorizando toda aquela região. A terrível fera não podia ser morta por um homem normal e todos os que tentavam enfrentá-lo ficavam completamente aterrorizados pelo seu rugido, que podia ser ouvido a quilômetros de distância. Além disso, arma alguma podia penetrar o couro do animal, e todos que o tentavam matar com lanças ou flechas acabavam sendo devorados.

Porca Camoniana - É uma imensa porca alada cor de rosa. Suas asas são da cor de um flamingo, combinando com sua pele. A porca destrói tudo em seu caminho e expele gás venenoso.

Caríbdis - Um monstro marinho protetor de limites territoriais no mar. Em outra tradição, seria um turbilhão criado por Poseidon. Três vezes por dia sorvia as águas do mar e três vezes por dia tornava a cuspi-las.

7 Estrelas

Abominação: Tarrasque - O tarrasque é a personificação da determinação banal, atacando sem motivação ou propósito - a não ser que sua motivação seja obliterar toda a vida. O tarrasque atropela seus inimigos ao se aproximar para o combate. Ele usa a fúria do tarrasque sempre que possível, alternando entre mordida dilacerante e bofetada com a cauda até ficar sangrando, quando inicia seu frenesi. Sem se preocupar em economizar suas forças, o tarrasque é capaz de devastar países inteiro com sua fúria.

Campe – Chamada de Drakaina ctônica (mulher dragão), Campe foi incumbida de guardar os Hecatônquiros no Tártaro. Campe é geralmente descrita como tendo a cabeça e parte superior do corpo de uma mulher bonita, a parte inferior do corpo de um dragão, a cauda de um escorpião enorme cheio de veneno, as cobras em torno de seus tornozelos e 50 cabeças de terríveis criaturas (lobos, cobras, ursos, leões ...) borbulhando em volta da cintura. Suas unhas são curvas como presas de crocodilos, e possui asas negras nas costas.

Drakon - Os drakons era uma raça milenar de gigantescos dragões com corpo de serpente. Alguns deles tem asas e cospem fogo (embora a maioria não fazer tal coisa), porém todos são venenosos e tem escamas tão duras quanto titânio. Quem olha em seus olhos se paraliza.

Gigantes - Gigantes na mitologia grega, são personagens caracterizados por sua estatura e força excepcionais.

Gigantes, filhos de Gaia:
• Alcioneu;
• Efialtes;
• Porfírio;
• Encélado.
Outros Gigantes:
• Argos Panoptes;
• Egeon;
• Gerion;
• Orion;
• Amico;
• Dercino;
• Albião.

Ophiotaurus - Criatura parte touro e parte serpente. Acreditasse que as entranhas da criatura devem ser retiradas e queimadas para conceder o poder de derrotar os deuses a quem queimou. Ophiotaurus significa serpente de vaca, em grego.

Tifão - Um monstro enorme, uma vez preso pelos deuses sob uma montanha. Em forma de homem, com a pele verde malhada, mãos humanas, as garras de uma águia, e os pés de um réptil. Uma vez liberado, Tifão pode causar grandes destruições.


b
e
s
t
i
á
r
i
o
Deuses
Deuses
avatar
Caos

Ficha do personagem
PV:
100/100  (100/100)
PM:
100/100  (100/100)
PR:
100/100  (100/100)

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum